11/03/2013 às 12h17min - Atualizada em 11/03/2013 às 12h17min

Alunos da UFMT farão manifestação no interior contra violência da PM

Olhar Direto
Olhar Direto

Os alunos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus do Araguaia, farão segunda-feira (11) às 17 horas, em Barra do Garças, uma manifestação contra a violência sofrida por colegas em Cuiabá durante uma ação da Polícia Militar (PM) quarta-feira. O incidente terminou com a detenção de pelo menos 10 alunos e seis foram feridos com tiros de borracha. Até advogados da instituição foram detidos na ação da PM.

O presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFMT-BG, Estácio Chaves, está convidando os alunos para se vestirem de branco e levarem flores e rosas com meio de protesto à truculência da Polícia Militar no episódio de Cuiabá.

A manifestação em Barra do Garças será realizada enfrente a praça dos Garimpeiros na calçada do Banco do Brasil onde os alunos vão entregar flores para comunidade e farão discursos pedindo paz e apuração do que aconteceu em Cuiabá.
“Nós queremos mostrar a sociedade que violência não deve ser respondida com mais violência”, completou o acadêmico. O campus do Araguaia tem duas unidades de ensino em Barra e Pontal do Araguaia com 3.200 alunos em 16 cursos.

Os alunos do campus do Araguaia aproveitaram essa semana para também repudiarem a ação da PM que foi classificada como inadequada e até mesmo truculenta na avenida Fernando Correia

Em Cuiabá, os universitários ligaram na madrugada de sexta-feira para o Olhar Direto para relatar que estavam sendo intimidados por policiais que passam com viaturas próximo as repúblicas acelerando o veículo e cantando o pneu com intenção de amedrontar os alunos.

Um dos estudantes que foi atingido por estilhaços de balas disse que está sendo ameaçado constantemente e não pode nem sair de casa. “Eu recebo ligações e estou come medo dos caras [policiais] me pegarem na rua. Eu estou todo machucado, fui ferido 20 vezes e estou todo enfaixado, mas sinto que estão me intimidando”, contou o universitário.

Sobre esse fato lamentável, o governador Silval Barbosa disse que determinou que o caso seja apurado e os policiais que excederam sejam punidos. Os deputados prometeram apurar o incidente também na Assembleia Legislativa (AL-MT). A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Mato Grosso também emitiu nota de descontentamento com esse incidente.

PROVIDÊNCIAS

O confronto entre alunos e policiais aconteceu quando a PM foi desobstruir a avenida Fernando Correia onde estava tendo um manifestação dos universitários contra a decisão de desocupação da Casa dos Estudantes (CEU). Para encerrar o impasse, a reitoria anunciou que vai aumentar as bolsas de moradia para os alunos e a instalação de ar condicionado no novo CEU construído com R$ 3 milhões. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.7%
75.2%