09/06/2020 às 16h31min - Atualizada em 09/06/2020 às 16h31min

Região de Barra do Garças tem taxa pequena de transmissão de Covid em pesquisa da UFMT

A taxa é de 1,86 enquanto que do Norte Araguaia é de 2,53 e de MT é de 2,04. O estudo faz uma projeção da Covid no estado analisando cada região atendida pelos consórcios de saúde

Araguaia Notícia
Uma nota técnica divulgada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) revela a situação de cada região do estado na luta contra o novo coronavírus (Covid-19). A região Garças/Araguaia, que compreende Barra do Garças, Nova Xavantina, Araguaiana, General Carneiro, Torixoréu e Ribeirãozinho, tem uma taxa de infecção de 1,86 uma das menores no levantamento da pesquisa. Já a região do Norte Araguaia e Baixo Araguaia onde está a cidade de Confresa com 157 casos tem uma incidência de 2,53.

Esses números constam numa pesquisa desenvolvida pelos Departamentos de Matemática, Geografia e o Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso num panorama atual e projeção da evolução da Covid-19 no estado.

Como a região de Barra do Garças tem uma taxa pequena isso significa que pode demorar também atingir ao pico previsto pelo levantamento para acontecer no dia 1º de outubro e que pode atingir o número de até 3.882 infectados na região Garças/ Araguaia. A previsão que a região Norte e Baixo Araguaia virá atingir o pico primeiro, no dia 04/08.

Todavia essa situação pode ser revertida desde que diminua o surgimento de novos casos com respeito as medidas de prevenção distanciamento social, lavar bem as mãos, ficar em casa e quando sair usar máscara de proteção facial.

Para o estado a previsão da pesquisa da UFMT é de que o número de infectados pode ser de 307.852 e taxa de infecção do estado é de 2,04.

O levantamento foi realizado por Moiseis dos Santos Cecconello, Departamento de Matemática; Ana Paula Muraro e Ligia Regina de Oliveira, do Instituto de Saúde Coletiva e Emerson Soares, do departamento de Geografia tem o objetivo de apresentar um panorama da Covid-19 no nosso estado e realizar uma projeção para evolução da doença com uma estimativa de números máximos.

O estudo foi realizado a partir dos dados de COVID-19 divulgados pela Secretária do Estado de Mato Grosso e utilizou um modelo matemático para descrever a transmissão de doenças transmissíveis.
Já a Região do Médio Araguaia que apresentou como data do número máximo de infectados 06 de setembro, podendo registrar 7.980 casos de COVID-19.

A Região Norte Araguaia Karajá apresentou como data do número máximo de infectados 16 de agosto com uma previsão de 3.295 de infectados por covid-19.

Vale ressaltar que o aumento dos casos de Covid implica diretamente na necessidade de leitos hospitalares e de UTI. O que vai definir as mudanças dessa projeção são as estratégias e investimentos no enfrentamento da COVID-19 de que cada região venha implementar.

Essa pesquisa está disponível na UFMT e também na internet e num link logo abaixo.

Referencia: ello MS, Muraro AP, Oliveira LR, Santos ES;. Evolução da Covid-19 em Mato Grosso: panorama atual e projeções para as regiões de saúde. Nota Técnica. ICET/IGHD/ISC – UFMT: Cuiabá, 2020.





Leia a pesquisa na íntegra
 
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »