24/09/2015 às 15h34min - Atualizada em 24/09/2015 às 15h34min

Documentário produzido pela UFMT chega a reta final

Assessoria

Depois de meses de pesquisa, produção e gravações, o documentário Veredas do Araguaia: Riqueza, Cultura e Fé, dirigido pelo cineasta paulistano Daniel Santiago, chega à etapa final. O trabalho, iniciado em maio deste ano, deve ser concluído até o final deste mês.

Desenvolvido pelo Núcleo de Produção Digital: Formação Técnica e Difusão Audiovisual (NPD) da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Araguaia, com o apoio da Fundação Uniselva, o projeto tem o objetivo de colaborar com a difusão e a preservação do patrimônio histórico e cultural da região do leste mato-grossense. A iniciativa é uma parceria com o Ministério da Cultura e a Secretaria de Audiovisual.

De acordo com o Pró-Reitor do campus Araguaia, José Marques Pessoa, apesar de termos grandes historiadores na região, como Zélia Diniz e Valdon Varjão, que contribuíram para a manutenção da história local, faltam iniciativas que possibilitem o acesso da população a essas narrativas. Neste sentido, o NPD objetiva, a partir da exploração das novas mídias, criar canais para que essas riquezas e diversidades possam ser socializadas por meio do audiovisual.

O documentário mostra a trajetória dos municípios de Araguaiana e Barra do Garças, desde os tempos em que o garimpo de diamantes no rio Araguaia gerava riquezas e atraía muitos aventureiros. A influência da Igreja Católica na região, com a forte presença dos missionários salesianos, a Expedição Roncador-Xingu, criada no começo da década de 1940 e a Fundação Brasil Central fazem parte da história contada no filme.

As belezas naturais, a transferência da sede do município para Barra do Garças e a devoção dos moradores de Araguaiana à Nossa Senhora da Piedade também são temas abordados no documentário que tem o Araguaia como protagonista. A intenção é mostrar as transformações sócio-políticas, econômicas e culturais da região resgatando fatos históricos através do depoimento de diferentes personagens e das belas imagens do Médio Araguaia.

As gravações se encerraram no dia 8 de setembro em Araguaiana, na festa do centenário da Igreja de Nossa Senhora da Piedade, que atrai fiéis de vários cantos do país. O ápice da comemoração também está registrado no documentário: a descida de três mil balsinhas de buriti iluminadas com velas, que são colocadas no rio Araguaia, promovendo um espetáculoinesquecível.

Além do documentário, o Núcleo de Produção Digital também produziu uma série de televisão sobre o Araguaia, como apoio das mesmas instituições. Ambos serão exibidos nas televisões públicas nacionais e nos cineclubes do país, além de fazerem parte do catálogo da Programadora Brasil que é responsável por distribuir as produções nacionais independentes em todo o território brasileiro. O NPD também pretende realizar uma sessão de exibição pública dos produtos em Barra do Garças e Araguaiana em dezembro.

Para o coordenador adjunto do Núcleo, professor Gilson Costa, está ação se constitui como um divisor de águas para a região, pois, além de realizar a projeção nacional do médio Araguaia também abre caminho para a inserção do Município no circuito nacional de produção audiovisual.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.4%
17.7%
75.2%