Araguaia Notícia  Publicidade 1200x90
Araguaia Notícia  Publicidade 728x90
21/11/2023 às 16h31min - Atualizada em 21/11/2023 às 16h31min

Vice diz que sofreu ‘violência política’ de prefeito de Iporá procurado por atirar contra casa da ex-mulher

Naçoitan já foi destaque no passado por sugerir a eliminação de Lula e Moraes

Ao g1, Maysa Cunha (PP), vice-prefeita de Iporá, denunciou que sofreu “violência política” durante a gestão com Naçoitan Araújo Leite, suspeito de atirar contra a ex-mulher e o namorado. Emocionada, Maysa disse que se sentia silenciada pelo político. “Infelizmente, eu não tive voz, eu não consegui participar do plano de ação da nossa gestão e isso acabou trazendo a mim uma dor muito grande”, desabafou.

A vice-prefeita detalhou que a violência política se dava em várias atitudes do dia a dia da gestão, como a exclusão dela na participação de decisões importantes sobre a cidade.

“Ele me excluía de todas as reuniões, eu não era convidada para participar de nenhum planejamento, muito menos da análise da prestação de contas e, além disso, ele podava a minha fala. Quando eu tinha oportunidade de discursar, raramente em eventos comunitários, eu sempre era criticada por ele”, lamentou.

Maysa completou que, além das dores pessoais, as atitudes do prefeito causaram prejuízo a todas as mulheres. Segundo a vice, as mulheres perderam oportunidades para se expressarem. “É uma forma de desvalorizar o papel da mulher no cenário brasileiro, desconsiderando que nós podemos contribuir com a melhoria das nossas políticas públicas, independente de qual área seja”, finalizou.

Gestão

Cumprindo o primeiro mandato em um cargo político, Maysa acredita que tem sua contribuição à população, mas poderia ter feito mais, caso tivesse o espaço planejado no início da gestão.

O propósito da campanha eleitoral era fazermos uma gestão descentralizada, uma gestão participativa, onde a mulher ia ter voz, onde a mulher poderia expressar as suas ideias, onde a mulher poderia manifestar ideias empreendedoras para inclusão no plano de ação administrativo”, explicou. Questionada sobre o porquê de não ter denunciado Naçoitan sobre as atitudes citadas na reportagem, Maysa contou que chegou a falar com ele e acreditou que teria mais espaço na administração pública.

“Cheguei até ele e pedi respeito, eu percebi que tinha uma chance muito grande da gente avançar, embora até o presente momento não avançamos. Estou aguardando ainda do Naçoitan uma postura de respeito, uma postura de gestão participativa, uma postura de respeitar a opinião e a voz de nós mulheres. Até mesmo porque ele foi eleito porque eu estava ao lado dele”, ponderou.

Impeachment

Segundo Maysa, o pedido de afastamento do prefeito já foi protocolado pela Câmara de Vereadores na Justiça Eleitoral da comarca e está aguardando um parecer. Já sobre o impeachment, Maysa explicou que ele é emanado pela população e a população já manifestou o interesse.

“A Câmara de Vereadores já formou uma comissão para estudar este pedido e tomando as providências legais cabíveis”, pontuou. A política narrou que a Prefeitura de Iporá repudia as suspeitas direcionadas ao prefeito e aguarda a manifestação da Justiça. “O povo está indignado, revoltado, pois eles expressam o desejo que ocorra imediatamente o afastamento do prefeito. A postura do prefeito foi muito agressiva, não somente a nós mulheres, mas a toda a população”, finalizou.

Araguaia Notícia com G1 GO

Araguaia Notícia  Publicidade 790x90


Entre no grupo do Araguaia Notícia no WhatsApp e receba notícias em tempo real  CLIQUE AQUI
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araguaia Notícia  Publicidade 1200x90