03/12/2011 às 16h36min - Atualizada em 03/12/2011 às 16h36min

Advogado acusado de mandar matar prefeito é solto

Ele obteve um HC e vai aguardar julgamento em liberdade

Olhar Direto
Olhar Direto

O advogado e ex-procurador da prefeitura de Novo Santo Antônio, a 1.063 km de Cuiabá, Acácio Alves de Souza, foi solto em Barra do Garças pela Polícia Militar que foi notificada por um oficial de Justiça. Ele obteve quarta-feira (30) um habeas corpus junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Acácio estava preso no batalhão da PM em Barra desde o mês de setembro sob a acusação de ter mandado matar o prefeito Valdemir Antônio da Silva, o ‘Quatro Olho’, dia 23 de julho.

O Tribunal acatou os argumentos e entendeu ser desnecessária a prisão decretada pela Justiça, segundo o advogado Mauro Cunha, que trabalha na causa junto com Ulysses Rabaneda. Em Barra do Garças, o comandante da Polícia Militar, coronel Paulo Costa, informou que já tem conhecimento do HC, todavia disse que aguarda a presença de um oficial de Justiça para comunicar oficialmente a notícia à corporação.

Acácio ficou mais de 60 dias preso numa cela improvisada dentro do quartel porque a região de Novo Santo Antônio não dispõe de acomodação adequada. A cela daquele município ficava dentro de uma quarto com porta de madeira e com ventilador e televisão. Acácio cumpriu, como qualquer preso, uma série de regras com horários de visitas e restrição a aparelhos celulares.

O fato dele ter ficado em uma cela no interior de um quarto com porta de madeira dava margem a uma eventual tentativa de fuga, entretanto o próprio advogado disse que iria esperar a tramitação da Justiça para responder em liberdade.

O relator do HC foi o desembargador José Jurandir de Lima, que votou pela manutenção da prisão. Os desembargadores Paulo Cunha e Luís Ferreira, porém, acreditam que o advogado poderá responder a acusação em liberdade por ter residência fixa e sem antecedentes.

Acácio foi preso em Goiânia (GO), descoberto através do sistema de interceptações telefônicas

Valdemir Antônio da Silva foi assassinado poucas horas depois de chegar em sua casa, ao retornar de um distrito do município de Ribeirão Cascalheira, onde fora participar de uma festa local, em homenagem ao padroeiro Santo Antônio.
Além de Acácio, foram presos Cláudio José Alves de Souza, 37, e Joseane Robisten Schumacher, 46, atual então chefe de gabinete da Prefeitura de Novo Santo Antonio.

O esposo de Joseana Schumacher, Elson Leal Pereira, 50, conhecido por “Jurupaca” e Valquir Ferreira Silva, foram presos no bairro Cristo Rei em Várzea Grande, pelo serviço de inteligência da Polícia Civil. Valquir Ferreira Silva foi secretário de Agricultura da gestão do prefeito assassinado.

Os executores Alexandre Silveira Barbosa, 35, o “Magrão ou Andróide”, foi preso na cidade de Nova Xavantina, e Luciano Cavalcante Nascimento Vieira, 31 anos, o “Batata”, no município de Bom Jesus do Araguaia.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.3%
4.8%
16.7%
77.2%