22/09/2021 às 10h49min - Atualizada em 22/09/2021 às 10h49min

População ameaça linchar pai que estuprou filha de 6 anos e acaba preso pela Polícia Civil em Novo São Joaquim

Araguaia Notícia
No dia 15/09, a Policia Civil de Novo São Joaquim-MT obteve informações sobre um possível estupro de uma criança de 6 anos, cujo suspeito era o seu próprio pai. De imediato, foi providenciado o boletim de ocorrência, a oitiva da mãe da menina e a oitiva do médico que fez o primeiro atendimento da infante. O caso foi acompanhado pelo delegado Pablo Rigo Borges, que é adjunto da 1ª DP de Barra do Garças que é coordenada pelo delegado Adriano Alencar. 

Em seguida, foi acionado o conselho tutelar que providenciou o encaminhamento da criança até Barra do Garças para a realização da Perícia Técnica e a oitiva especializada da infante pela equipe multiprofissional da Delegacia de Defesa da Mulher. 

De posse dos elementos informações suficientes de materialidade delitiva e de indícios de autoria, foi providenciada a representação pela prisão temporária do suspeito. 

O Judiciário e o Ministério Público de Novo São Joaquim que sempre colaboram com os trabalhos policiais, de pronto assinalaram positivamente pelo deferimento da medida cautelar. 

De efeito, a sociedade de São Joaquim comovida com o bárbaro crime ocorrido, ameaçou de linchar o investigado, o qual foragiu do distrito da culpa temendo por sua integridade física, bem como pelo receio de ser preso pela polícia civil. 

De posse do Mandado de Prisão, os investigadores de Polícia iniciaram diligências  ininterruptas até que obtiveram o êxito em localizar e cumprir o mandado de prisão do investigado na manhã do dia 22/09. O investigado será devidamente interrogado sobre a prática delitiva e, posteriormente, será encaminhado até o presídio de Água Boa.

Mesmo com o efetivo reduzido e em tempos de pandemia, a Polícia Civil de Novo São Joaquim tem atuado com presteza, não deixando a sociedade à mercê da criminalidade. Desde quarta-feira, 15/09, a equipe policial vem trabalhando incansavelmente no deslinde desse fato horrendo. 

Essa prisão foi conduzida pelo delegado Pablo Rigo Borges e os investigadores José, Ana Lúcia, César, Maurico e a escrivã, ad doc, Daiane.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.1%
4.9%
17.6%
76.5%