13/11/2019 às 17h07min - Atualizada em 13/11/2019 às 17h07min

Eduardo Botelho prevê rombo de R$ 2 bilhões em MT e cobra reforma da Previdência de Mauro Mendes

Camila Ribeiro / Mdia News
ARAGUAIA NOTÍCIA


O presidente da Assembleia Legislativa Eduardo Botelho (DEM) voltou a cobrar do governador Mauro Mendes (DEM) a apresentação de um projeto para a reforma da previdência do Estado.

O assunto é tratado com certa cautela pelo Executivo, mas é motivo de preocupação, já que a Previdência de Mato Grosso registra um déficit de cerca de R$ 1,3 bilhão por ano.

“O que mais tenho cobrado do Governo é a questão da Previdência, que está com um déficit exponencial e vem crescendo e muito. Dentro de dois anos vai estar em torno de R$ 2 bilhões”, disse.

“Precisaríamos criar um novo Fethab só para cobrir o déficit. É preciso discutirmos isso agora com responsabilidade”, emendou Botelho, em alusão ao Fundo Estadual de Transporte e Habitação, recém formulado pelo Executivo.

O presidente admitiu que a discussão em torno do assunto deve gerar bastante polêmica dentro da Assembleia Legislativa e será, inclusive, um fator de desgaste aos parlamentares.



De todo modo, segundo ele, não há como fugir do debate, sob pena de colocar em xeque o próprio pagamento da aposentadoria do funcionalismo público.

“Acho que é um assunto desgastante, mas importante para a economia do Estado. Para a garantia dos futuros servidores que estão entrando no serviço público. Garantia, inclusive, do pagamento da previdência. Então, é importante essa discussão e temos que fazê-la urgente. Todos os Estados estão fazendo, temos também que fazer essa discussão também”, afirmou.

O presidente lembrou, por fim, que o governador já afirmou que está realizando um estudo sobre o tema.

“Estou cobrando celeridade, porque o ano já está quase acabando e o ideal seria discutir isso nesse primeiro ano do Governo Mauro”, completou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
4.5%
20.0%
73.9%