08/11/2021 às 08h25min - Atualizada em 08/11/2021 às 08h25min

Chamada de 'histérica', vereadora registra BO contra Juca do Guaraná

Confusão aconteceu na quinta-feira, quando Câmara votaria abertura de comissão contra Emanuel

Cíntia Borges / Midia News via ARAGUAIA NOTÍCIA 


A vereadora Michelly Alencar (DEM) registrou nesta sexta-feira (5) um boletim de ocorrência contra o presidente da Câmara Municipal, Juca do Guaraná (MDB), por violência política contra a mulher. 

O emedebista protagonizou, na sessão da última quinta-feira (4), um bate-boca com a vereadora. Em determinado momento, ele se dirigiu a parlamentar como “histérica”. O caso repercutiu nas redes e a atitude de Juca foi classificada como machismo. 

O pedido de abertura de investigação foi feito na sede da Delegacia da Mulher, em Cuiabá, e a parlamentar baseou-se na lei Lei 14.192 deste ano. 

"A vítima foi interrompida e silenciada, tendo o seu direito de fala cerceado pelo então presidente da Câmara de Vereadores, senhor Juca do Guaraná, que a ela lançou os seguintes dizeres, enquanto a interrompia sistematicamente: 'Não estou te calando, vereadora, apenas estou seguindo o regimento [...] Vereadora, não adianta a senhora ficar histérica como uma menina que perdeu um doce', disse o presidente Juca do Guaraná”, consta em trecho do BO.

Conforme descrito no boletim, as interrupções a fala da vereadora continuaram, até que ele encerrou a sessão. Ao fim do expediente, a vereadora ainda contou que Juca deu entrevista a imprensa minimizando o caso e afirmando que aquela discussão era “corriqueira”. 

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DO GRUPO ARAGUAIA NOTÍCIA PRA RECEBER INFORMAÇÕES EM TEMPO REAL

“Após o comentário feito pelo presidente Juca do Guaraná Filho, continuou obstando o direito de fala da vítima e suspendeu a sessão. Como se não bastasse, em entrevista, logo após o fato, manifestou-se no sentido de realmente ter cometido o ato e proferido o comentário, mas que ao seu ver se tratava de fato corriqueiro no parlamento”, disse. 

Agora, a Polícia Civil investigara o caso. 

A reportagem entrou em contato com a assessoria do presidente da Câmara, mas não obteve retorno. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »