04/10/2019 às 11h14min - Atualizada em 04/10/2019 às 11h14min

Serviço de Inspeção Municipal (SIM) garante produtos de qualidade em Barra do Garças

Secom - BG
ARAGUAIA NOTÍCIA
Cresce a cada dia, em Barra do Garças, o número de empresas registradas no Serviço de Inspeção Municipal (SIM). Vinculado à Secretaria de Indústria, Comércio e Desenvolvimento Rural, o órgão vem conseguindo atingir seu objetivo de controlar a fabricação, a manipulação e distribuição dos produtos de origem animal. 

Implantado em 2013 pelo prefeito Roberto Farias, o Serviço de Inspeção Municipal busca incentivar as empresas e empreendedores a saírem da clandestinidade para ofertar ao consumidor, alimentos com qualidade. Hoje 18 empresas já estão registradas, sendo 12 ativas e outras seis na fase do pré-registro.



Segundo o coordenador do SIM, o médico veterinário Jeová Ferreira da Silva, a implantação do Serviço de Inspeção foi de fundamental importância para Barra do Garças. Ele explica que o registro no SIF (Serviço Federal de Fiscalização) é oneroso para o empresário e o SIM chegou com o objetivo de colaborar e aliviar os altos custos para a pequena e média empresa, e para os empreendedores.

“Com o Selo SIM a empresa poderá comercializar os produtos de origem animal, como embutidos cárneos (linguiças cortes especiais, almondegas, quibes, produtos temperados, frangos caipiras, suínos e bovinos), queijo, ovos, mel, doces e outros gêneros com qualidade. O órgão estará inspecionando o local e a higienização do produto oferecido ao consumidor”, destacou.

As empresas ou empreendedores que queiram registrar o seu estabelecimento no SIM, o trâmite é simples. De acordo com Jeová Ferreira, não há burocracia. “Os interessados devem procurar a Secretaria de Indústria e Comercial e no Departamento de Inspeção Municipal, protocolar o requerimento solicitando o registro para uma determinada atividade na produção de original animal e o órgão analisará o pedido para a concessão final”, ressaltou.

Selo Arte

De acordo com o coordenador do SIM, com a aprovação do Selo Arte, criado pela Lei 049/2019, que permite o comércio artesanal do meio rural, a procura pelo registro aumentou significativamente nos últimos dias. 

A preocupação dos as empresas, segundo ele, é com a adequação dos estabelecimentos para a produção desses produtos da agricultura familiar que até então estavam proibidos de serem comercializados justamente pela falta de inspeção. 

“O SIM dá essa oportunidade para que todos possam se adequar, produzir e comercializar seus produtos devidamente inspecionados, ou seja, com o registro não há risco de apreensão dos produtos porque já levam o selo de qualidade”, resume.
Notícias Relacionadas »
Comentários »