29/11/2017 às 16h10min - Atualizada em 29/11/2017 às 16h10min

Motorista que atropelou professora diz que pensava ser um animal em Barra do Garças

Gazeta Digital
Ao prestar depoimento sobre o atropelamento da professora Mônica Alencar Miranda, 33, na BR-070 em Barra do Garças (509 km a leste de Cuiabá), o homem de 43 anos, cujo nome não foi divulgado, disse que acreditava ter atropelado um animal e não uma pessoa. Depois de ser ouvido pela Polícia Civil nesta terça-feira (28), ele foi liberado já que não foi pego em flagrante.

A professora da rede municipal de educação foi localizada por populares desmaiada às margens da estrada, na manhã do dia 19 deste mês, e levada para um hospital, onde foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com traumatismo craniano.

Segundo ele, chovia muito durante a madrugada e os limpadores do para-brisa do veículo Ford Del Rey estavam estragado e o vidro embaçado, isso teria impossibilitado a visão da rodovia. “Eu subi apressado, porque cuido de uma criança pequena. Bati nela, mas achei que era uma criação. Eram 5h da manhã e eu não imaginava que ia ter uma pessoa às margens da rodovia. Não vi e fui embora”, disse em depoimento.

Mesmo com a tese de defesa do suspeito, o delegado Heródoto Fontenelle, responsável pelo caso, disse que o indiciará pelos crimes de omissão de socorro, embriaguez ao volante e lesão corporal. “Ele falou que causou o acidente e que tinha bebido, inclusive escondeu o veículo. Nós o localizamos, interrogamos e liberamos ele porque já não estava em estado flagrancial”, relatou o delegado ao Gazeta Digital.

O carro foi apreendido, periciado e encaminhado ao depósito judicial. Nele foram encontrados vestígios da roupa de Mônica. O resultado ainda não foi divulgado.

As informações sobre o estado de saúde de Mônica revelam que ela já saiu da UTI. Segundo Fontenelle, ainda é preciso averiguar se cabe alguma responsabilização ao ex-marido que levou Mônica a um show durante a noite e a teria deixada na rodovia “à esmo”. “Nós aguardamos a alta hospitalar para esclarecer alguns fatos que ainda pairam dúvidas na investigação. O ex-marido diz que ela desceu do carro e nós estamos investigando”, afirmou.

Mônica Alencar Miranda atua como professora em Barra do Garças e mora em Pontal do Araguaia, município vizinho. Ela foi localizada por populares, inconsciente em frente a um antigo clube da cidade, depois de ter ido a um show com o ex-marido. A professora foi encontrada com uma pancada profunda no olho esquerdo e levada para o Pronto-Socorro, onde foi internada na UTI.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%