23/03/2017 às 06h54min - Atualizada em 23/03/2017 às 06h54min

Sebrae confirma Revista Exame e coloca Barra do Garças entre os melhores municípios para se investir

Secom-BG
Depois da publicação da Revista Exame, uma das mais conceituadas, em que apontou em 2016 Barra do Garças como a 8ª cidade para se investir no país, o SEBRAE confirmou essa tendência com a publicação ‘Perfil Mato Grosso mercado & negócios2016’, apresentando dados que mostram porque Barra do Garças está entre os melhores lugares do país para se investir. Os números são extremamente positivos, Barra do Garças cresceu a partir de 2013 muito acima da média estadual.

Em 2013 o PIB (Produto Interno bruto) da região de Barra do Garças foi de R$ 4.196.228,00 com um crescimento de 66%, enquanto o estado de Mato Grosso cresceu 5%. No Araguaia Barra do Garças ficou com 29,1% do PIB seguido por Canarana (17,1%) e Água Boa (15,1%). O Setor de serviços apesar da queda se mantém na liderança com 51% (em 2010 correspondia a 58%), o que mais cresceu foi a agropecuária que aparece com 28% (em 2010 correspondia a 205), indústria oscilou de 12% para 11% e impostos manteve 10%.

O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) também apresentou melhorias consideráveis, com índice de 0,748 Barra do Garças teve o melhor desempenho no Araguaia ficando em 8º no Ranking de MT, Pontal do Araguaia ficou em 13º e Água Boa em 17º. O ICMS na região aumentou 222% em relação a 2010 e Barra do Garças foi o município com maior valor arrecadado: R$ 458.058.524,72, seguido por Água Boa com R$ 25.359.703,42. 

O potencial de consumo também foi positivo para incentivar a vinda de investidores, Barra do Garças lidera em todas as classes (A, B1, B2, C1, C2 e D/E), sendo o setor de produtos de manutenção do lar a frente com 29%, aparece na sequencia Alimentação domicílio com 12%, matérias de construção e gastos com veículos próprios (6% cada), gastos medicamentos, higiene pessoal, e vestuário confecção (3%) e despesas viagens, eletrodomésticos e equipamentos, mobiliário e artigos para o lar (2%); com 1% apareceram despesas recreativas e culturais, matrículas e mensalidades, outras despesas de saúde, calçados, artigos de limpeza e bebidas. Outros somaram 20%. O consumo urbano corresponde a 87% e o Rural 13%.

A Revista publicou ainda o perfil das empresas na região: Agronegócio (324), Comércio (4.889, Construção civil (556), Indústria (1047 e serviços (4.750), sendo a maioria MEI. Na destruição das MEI,s por setores, Barra do Garças também lidera no comércio (541), Indústria (180), Serviços (897). No geral Barra do Garças possui 1.707 MEI,s na região e Canarana aparece em 2º com 1051. 

Outro dado que chama atenção é em relação a frota de veículos na região de Barra do Garças, o levantamento foi realizado junto ao DETRAN em 2015 e mostram que 50% são motocicletas, 27% automóveis, 15% caminhões e caminhonetes, 2% tratores, 1% micro-ônibus e outros, 6%. 

Os dados completos estão publicados na Revista produzida pelo SEBRAE e é distribuída para investidores de várias partes do País e do mundo.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%