14/03/2017 às 19h20min - Atualizada em 14/03/2017 às 19h20min

Bombeiros encerram 3º dia de buscas sem achar menina de 10 anos e família precisa de ajuda

Araguaia Notícia
Família
Um drama sem igual vem vivendo a família de Cristiane Luz Landin da Costa, 10 anos, que se afogou no domingo (12/3), no rio Garças em Barra do Garças e até agora não foi encontrada pelos bombeiros. O terceiro dia de buscas se encerrou por volta das 19 horas de terça-feira (14/3) por estar escuro e as águas turvas do rio dificultarem o trabalho de mergulho.

As buscas serão retomadas na quarta-feira pela manhã, segundo os bombeiros. A família de Cristiane, que é muito humilde e reside no bairro Nova Barra do Garças, está transtornada e até mesmo passando por dificuldades. O pai e avô de Cristiane trabalham vendendo pamonha, mas em função do ocorrido não têm nem mesmo condições psicológicas de trabalharem, no momento. A mãe de Cristiane, Kátia Luz Landin está à base de calmantes.

Por iniciativa de vizinhos, amigos e colegas de igreja, uma campanha está sendo feita para ajudar a família de Cristiane com donativos e até mesmo dinheiro para pagar contas de energia, água e gás. A moradora Edna Duarte disse que qualquer ajuda nesse momento é importante e disponibilizou uma conta em nome de Kátia: 00082977-2, operação 13, da Caixa Econômica Federal agencia 1308.

 “Nós estamos ajudando com orações e pedimos o apoio da comunidade trata-se de uma família bem simples”, destacou Edna, que deixou o telefone dela para contato: (66) 9 9207 7556. A família de Cristiane mora no bairro Nova Barra do Garças e a menina estuda na escola Helena Esteves, do Nova Barra. Cristiane tem mais um irmão de 5 anos.

A mãe de Cristiane é de Goiânia e o pai de Luciara-MT e se mudaram há três anos para Barra. De acordo com a família, Cristiane estava brincando num banco de areia bem perto dos tios e quando foi para beira do rio nadar e não foi mais vista. A garotinha estava sem bóia e sem colete salva-vidas.

O rio Garças é considerado um rio perigoso porque devido aos rebojos e lugaresem que os banhistas se afundam rapidamente sem achar o fundo até mesmo perto das margens.

A população que utiliza a praia nos finais de semana está pedindo a colocação de placas de sinalização sobre o risco de afogamentos no Garças. Vale destacar que a vigilância dos bombeiros somente acontece no período do festival de praia nos meses de junho e julho. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%