23/10/2015 às 14h44min - Atualizada em 23/10/2015 às 14h44min

Governo reforça segurança com mais 600 policiais e lança operação ‘Impacto 3’

Assessorias/ Sesp e Seges-MT
Mayke Toscano/Gcom-MT

Parceira entre a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e a Secretaria de Estado de Gestão (Seges) vai garantir mais policiais nas ruas de todo o Estado até o final do ano. Um acordo feito pelas duas pastas na terça-feira (22.10) autoriza o pagamento de 78.816 horas de jornada extraordinária aos policiais militares.

Com a decisão conjunta, diariamente, durante os três últimos meses do ano, serão 657 policiais militares nas ruas do Estado, atuando na operação Impacto 3 e distribuídos, exclusivamente, nas zonas quentes de criminalidade mapeadas pela inteligência. “Acreditamos que isso trará um impacto positivo na prevenção dos crimes de homicídio e roubo que são nossa prioridade”, disse o secretário executivo de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre.

A Secretaria de Gestão do Estado já deu a ordem de serviço para que o pagamento das horas extras dos policiais militares seja feito em folha complementar prevista para o início de novembro.

“Como eles já começaram nessa carga extra, em contra-jornada, estamos acelerando o passo para que a recompensa deles neste trabalho tão importante seja logo reconhecida. Teremos três meses pela frente de segurança ostensiva em todo o Estado. A população merece essa sensação de segurança e vamos contribuir com isso em tudo o que for possível”, afirmou o secretário de Gestão, Julio Modesto.

A jornada extraordinária é um beneficio previsto na legislação militar para que os policiais possam ser empregados nas ruas durante o seu período de descanso da escala de trabalho. Na jornada extraordinária o policial pode trabalhar no horário limitado de seis horas.

Segundo o secretário executivo de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, a convocação do policial no horário de descanso, pelo tempo de seis horas, atende a expectativa social de maior policiamento na rua e a do militar que consome seu tempo no serviço público e não fazendo “bico” irregulares em comércio e empresas privadas, além de atender a lógica da meritocracia, que significa o pagamento exclusivamente para aqueles que estão efetivamente em serviço nas ruas atendendo o cidadão mato-grossense.

“Esta é mais uma ação da nova gestão com impacto direto na vida do cidadão. O aumento do efetivo é a prioridade da Sesp e o clamor primeiro da sociedade. Estamos empregando todos os esforços para colocarmos carga máxima nas ruas”, destacou o secretário. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.2%
4.4%
17.2%
77.2%