11/10/2015 às 09h59min - Atualizada em 11/10/2015 às 09h59min

Vendedora morre ao fazer cirurgia plástica

G1 GO
Reprodução/TV Anhanguera

A família da vendedora Valéria Souza da Silva, de 35 anos, denuncia que a mulher morreu ao fazer uma cirurgia plástica na quinta-feira (9), em Goiânia. De acordo com os parentes, ela teve complicações operatórias e não tinha UTI na clínica onde foi realizado o procedimento. A irmã da vítima, a também vendedora Érica Souza da Silva, conta que o médico mentiu e disse que o local tinha toda estrutura necessária para fazer a operação.

Valéria foi até a Clínica para colocar silicone nos seios, fazer uma lipoescultura e também abdominoplastia. “Antes de fechar o contrato, minha irmã perguntou se a clínica tinha UTI, porque ela não queria que desse nada errado, tinha medo de morrer e deixar os três filhos. O médico garantiu que tinha”, disse Érica.


Segundo a irmã da vítima, o médico disse que Valéria teve uma queda de pressão e uma complicação e que ela tinha sido transferida para outra clínica com UTI. “Quando perguntamos se faltava UTI, ele disse que não, mas que a de lá não tinha todos os equipamentos necessários para reverter o quadro dela”, contou.

Érica informou ainda que, ao conversar com os médicos da clinica para onde Valéria foi transferida, eles disseram que a paciente já chegou sem sinais vitais.

A família registrou o caso no 5º Distrito Policial, mas os agentes informaram que o caso será investigado pelo 8º DP de Goiânia.

A Clínica Performance explicou que possui os equipamentos de UTI, mas que o quadro clínico da paciente se agravou por causas desconhecidas e inesperadas. Com isso, a equipe médica decidiu transferir a mulher para um hospital com mais recursos para tentar reverter o quadro clínico dela.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.3%
4.8%
16.7%
77.2%