07/10/2015 às 12h38min - Atualizada em 07/10/2015 às 12h38min

IML identifica corpo de mulher carbonizada

Adilson Rosa / Midia News
Midia News

Usando a técnica de microadesão, papiloscopistas da Gerência de Plantão Integrado, anexo ao Instituto de Medicina Legal, conseguiram identificar o corpo de Simone da Luz Feitosa, de 37 anos, encontrada carbonizada junto com a filha de 16 anos, na semana passada, em Várzea Grande.

A técnica consiste em retirar a epiderme e colocá-la sobre uma lâmina e fazer a revelação. Em seguida, é feito o confronto com documentos expedidos pelo Instituto de Identificação.


A técnica é inédita em Mato Grosso e está de acordo com o procedimento operacional padrão da perícia criminal no Brasil estabelecido pela Senasp.


O desafio de fazer a identificação coube aos papiloscopistas Simone Delgado, Crescêncio Costa Rodinei Silva e Odilzo Botelho Júnior. Com isso, a família de Simone já pode retirar o corpo para que seja sepultado, sem a necessidade de outros exames.

Para Simone, responsável pela Seção de Cadáveres Especiais, esse foi o caso mais difícil e mais importante porque o trabalho teve que ser milimetricamente preciso.


Ela acrescentou que, no caso da adolescente, não será possível utilizar a mesma técnica porque houve carbonização total. Nesse caso, será feito exame de DNA.


Os papiloscopistas explicaram que se trata de uma técnica nova e que está sendo utilizada em casos como esse. A técnica mais comum em casos de casos de corpos em decomposição e mumificação é a reidratação da digital que já conseguiu identificar mais de uma centena de corpos.

O crime


Pelo duplo assassinato, policiais da DHPP prenderam o ex-namorado de Simone. No último fim de semana, o carro da vítima foi localizado escondido no bairro Pedra 90.


O suspeito foi preso na sexta-feira (2), após ter a prisão temporária decretada. Ele foi preso no Jardim Imperial, em Várzea Grande onde tem uma empresa.


Mãe e filha foram foram encontradas enroladas em lençóis e carbonizadas no bairro Nova Fronteira, em Várzea Grande.


De acordo com as investigações, Simone saiu de Poconé, na manhã anterior, dirigindo o próprio carro Celta prata, na companhia da filha e de uma irmã, com destino a Cuiabá.


Chegando à capital, as duas irmãs se separaram para resolverem assuntos pessoais, ficando a adolescente com a mãe, no automóvel.

Elas marcaram um ponto e horário de encontro para retornarem para Poconé. Entretanto, Simone e e a filha não apareceram no local combinado e nem retornaram mais para Poconé, sendo consideradas desaparecidas. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.3%
4.7%
16.8%
77.2%