21/09/2015 às 19h44min - Atualizada em 21/09/2015 às 19h44min

Garota é assassinada e namorado suspeito de cometer o crime está foragido

Olhar Direto
Arquivo Pessoal

A jovem Thajela Caroline Oliveira, de 17 anos, foi morta a tiro, nesta sexta-feira à noite, dentro da casa onde ela residia, em um bairro de Peixoto de Azevedo (690 km ao Norte de Cuiabá). O namorado dela, por nome de Paulo Henrique, de 21 anos, é o principal suspeito de cometer o crime. Ele está foragido.

Conforme informações da Polícia Militar, um rapaz – que seria amigo de Paulo Henrique - chegou ao hospital de Matupá com a jovem ensanguentada, dizendo que ela teria sido esfaqueada ao reagir a um suposto assalto. Porém, enquanto a equipe médica atendia a vítima, o jovem sumiu. Os médicos não conseguiram salvar a vida de Thajela, que já chegou à unidade hospitalar sem os sinais vitais.

A polícia foi ao local onde a adolescente residia. Na cama havia manchas de sangue, indicando que ela fora atacada enquanto estava deitada. Os policiais militares então começaram a procurar por Paulo Henrique e não o encontraram. Testemunhas relataram que ele teria fugido rumo ao Norte-Araguaia, por meio da MT-322. As polícias daquela região foram avisadas.

O corpo de Thajela passou por exame de necropsia no Instituto Médico Legal (IML) e foi liberado posteriormente para os procedimentos fúnebres. A Polícia Civil investiga o caso e poderá solicitar à Justiça a prisão preventiva do suspeito.

Dentro do veículo havia algumas munições, mas o suspeito fugiu após perceber a presença dos policiais. As informações são das polícias Civil e Militar.

O delegado Ramiro Queiroz, que atua em Guarantã do Norte mas está neste final de semana respondendo por Peixoto de Azevedo, disse que as investigações já começaram e que a polícia suspeita de crime passional. "A própria família da vítima nos disse que acredita que o responsável foi o companheiro dela", declarou.

A adolescente levou um tiro dentro do quarto e foi levada para o hospital municipal de Matupá, município a 10 km de Peixoto de Azevedo. Quem levou a menor de idade à unidade de saúde foi um amigo do namorado dela, que depois fugiu do local. Foi ele também quem procurou a Polícia Civil em Peixoto para dizer que a vítima tinha sido vítima de latrocínio - roubo seguido de morte, informou Queiroz.

"Essa era a versão inicial, mas depois verificamos que não foi isso que aconteceu. Esse rapaz contou que ela estava numa região conhecida como 'Prainha' quando foi assaltada, mas na cama dela encontramos marcas de sangue", explicou o delegado.

O namorado da adolescente e o amigo dele são procurados pelas polícias Civil e Militar. A participação do amigo no crime não está descartada pela polícia. "Ele pode ter ajudado a cometer o assassinato, como pode apenas ter tentado ajudar, levando a adolescente ao hospital. Ainda estamos investigando", disse Queiroz.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.6%
75.2%