01/03/2012 às 13h22min - Atualizada em 01/03/2012 às 13h22min

Dívidas podem tirar Barra do campeonato do estadual

Olhar Direto
Ronaldo Couto

A equipe do Barra do Garças Futebol Clube, que é o sexto colocado com 12 pontos, pode abandonar a competição em virtude do acumulo de dívidas, segundo alertou o presidente da agremiação, ex-jogador Charer Fayad.

O dirigente explicou que o time está devendo muito e para aumentar aflição da diretoria R$ 65 mil dos 100 mil prometidos pela prefeitura foram bloqueados pela Justiça do Trabalho para pagar uma ação movida pelos ex-jogadores: Márcio José, Paulo Roberto, Alexandre e Robson.

“Essa dívida não estava prevista e nós contávamos com esse dinheiro para sanar as dívidas de alimentação, hospedagem e salários dos jogadores” argumentou. O dirigente disse que não é culpa da prefeitura que fez a sua parte, porém essa dívida trabalhista é de que entraram na Justiça Trabalhista.

“Essa dívida trabalhista não estava prevista e só piora a nossa situação”. O presidente do Galo isentou a prefeitura que adiantou R$ 35 mil para o time e que bloqueio se deve a dívida trabalhista de 2009 com esses jogadores, na época do ex-presidente Sávio Carvalho, que era de R$ 13 mil e chegou ao montante de 65 mil.

O Barra deve R$ 68 mil de folha de pagamento, 15 mil de farmácia e alimentação, 15 mil de hotel e 30 mil de despesas dos jogos fora. Charer disse que tem a receber 22 mil do ex-deputado Daltinho e 10 mil do suplente Eduardo Moura cujo recurso ele está contando para sanar parte das dívidas.

“Eu estou avisando se eu não sanar essa dívida, vou deixar o time e se ninguém assumir o Barra pode abandonar o campeonato” finalizou. Se o time abandonar o campeonato pode ser punido com três anos de afastamento e se rebaixado para 2ª divisão.


Prefeitura cumpriu com o Galo

O procurador da prefeitura de Barra do Garças, Edmar Júnior, informou que a prefeitura cumpriu sobre repasse do município ao time e que esse bloqueio se deve a ação trabalhista na época do ex-presidente Sávio Carvalho de 2009.

Junior explicou que no ano passado não houve recurso do Barra porque houve um parecer contrário do promotor Marcos Brant com relação a patrocinar o time no Campeonato Mato-grossense. Sobre a possibilidade da prefeitura novamente ‘socorrer’ o time, procurador entende que pouco provável, pois o Ministério Público fez nova restrição.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »