27/04/2011 às 14h21min - Atualizada em 27/04/2011 às 14h21min

Daltinho defende a regularização de terras em MT

Assessoria
Assessoria

O deputado Adalto de Freitas (PMDB) levantou o assunto da regularização fundiária em Mato Grosso, durante a sessão vespertina de terça-feira. Adalto quer a troca do superintendente do Incra no Estado, Willian Sampaio, alegando que o trabalho desenvolvido pelo gestor não é satisfatório e requerendo do governador Silval Barbosa (PMDB) a atuação junto ao governo federal. O parlamentar recebeu o apoio dos demais deputados.

 

Ele também pediu empenho dos colegas para que a Assembleia Legislativa movimente a questão junto ao governo do Estado. “O governador Silval Barbosa precisa usar sua influência junto a presidenta Dilma Rousseff (PT) para que seja nomeado um gestor do Estado, que conheça nossa região e nossas necessidades”, defendeu Adalto, sugerindo o nome do diretor do Incra em Barra do Garças, Joaquim Francisco Ferreira.

 

Segundo Adalto, muitos assentados ainda não obtiveram a certidão de posse das terras e com isso, não podem fazer empréstimos ou trabalhar porque não estão regularizados. “Há assentados que esperam há 30 anos pela escritura. O governo federal faz um trabalho equivocado quando tutela o assentado da mesma forma que tutela o índio”, afirmou o peemedebista.

 

Para ele, o atraso do Incra é um problema de gestão e medidas devem ser tomadas para que as “coisas aconteçam”. “E a Assembleia precisa levantar esta bandeira da mesma forma como fez com a Agecopa. Porque este é um problema muito sério”, disse Adalto, argumentando ainda que existem profissionais que precisam ser convocados no Estado.

 

Adalto ainda argumentou que o governo precisa “puxar a responsabilidade para si”, independentemente de partido. “Nosso partido é Mato Grosso. É a hora de ir para cima porque o Incra está sendo gerido de forma irresponsável e é preciso uma gestão de pulso. Nossos assentados não podem ser tratados como se tivessem culpa da questão”, destacou.

 

O deputado Baiano Filho (PMDB) ratificou as palavras do colega de partido acrescentando que é preciso avançar em legislação, sendo somente dessa forma que se fará a verdadeira regularização fundiária. “O governador deveria discutir com a bancada e também dizer para a presidenta Dilma que quer colocar alguém de confiança no Estado, para que o assunto possa avançar. Independente de partido, senão daqui anos ainda estaremos discutindo o assunto. E essa deve ser uma postura de governo”, disse Baiano.

 

Já o deputado Ezequiel Fonseca (PP), garantiu que se colocará como “soldado” na defesa da questão, afirmando a Adalto seu apoio. “Porque os moradores não tem sequer segurança nem garantia da documentação. É preciso começar uma mudança geral no Incra e me coloco a disposição do colega”, acrescentou o progressista.

 

Dilmar Dal Bosco (DEM) também declarou seu apoio a defesa de Adalto comentando que o atual superintendente do Incra está sem condições de fazer um bom trabalho, não servindo para o que Mato Grosso necessita. “Ele transformou os assentamentos em favelas rurais. Um nome tem que ser trabalhado”, defendeu Dal Bosco.

 

Campeonato mato-grossense

 

Adalto de Freitas também aproveitou a oportunidade para cumprimentar o time de Barra do Garças, que ficou em segundo lugar no campeonato mato-grossense de futebol. Para o parlamentar, o time teve personalidade para chegar a final do campeonato mesmo com poucos recursos. Juntamente com Baiano Filho, Adalto propôs uma moção de aplauso a diretoria do Barra. “Quero congratular a diretoria do ‘Galinho da Serra’ e também os valorosos jogadores que empataram o jogo em Cuiabá, no domingo passado. Ficamos em segundo lugar, mas demonstramos que viemos para mostrar a força de Barra do Garças no futebol mato-grossense”, destacou.

 

Aniversário

 

O peemedebista ainda cumprimentou o governador Silval Barbosa por seu aniversário, na data de ontem. Silval completou 50 anos. “Estamos felizes com o aniversário do governador. E também quero dar meu apoio e parabéns pela luta na condução do Estado”, disse Adalto.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%