03/02/2012 às 15h17min - Atualizada em 03/02/2012 às 15h17min

Esposa de gerente é libertada após mais de 24 hs sequestrada em MT

Olhar Direto
O Repórter do Araguaia

A esposa de um gerente da agência do Banco Bradesco no município de São Félix do Araguaia (1.200 km de Cuiabá) foi liberta depois de ter ficado mais de 24 horas refém de bandidos. Os criminosos invadiram a residência de Charles Costa Martins na última terça-feira (31), dominaram a família e seqüestraram a vítima.

Os criminosos fugiram e informaram aos familiares que somente libertariam a vítima mediante o pagamento de resgate. Eles saíram dos limites da cidade para aguardar o dinheiro e ameaçavam a vítima a todo instante. Temendo pela vida da esposa, Charles cumpriu as exigências dos assaltantes e realizou o pagamento segundo informações do Repórter do Araguaia.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de São Felix do Araguaia.

Esta não é a primeira vez que os bandidos usam do expediente de manter como reféns familiares de gerentes de bancos em Mato Grosso. Em 2003, uma quadrilha rendeu a família do gerente e tesoureiro do Banco do Brasil de Barra do Garças.

Em Cocalinho, houve uma situação semelhante, porém a demora em se comunicar o assalto chamou a atenção da polícia que passou a suspeitar de um possível envolvimento de funcionários no crime. Mas o número de assaltos continua aumentando no estado.

Em Campo Verde (138 km de Cuiabá), uma quadrilha instalou bombas caseiras para estourar caixas eletrônicos na terça-feira (31). Dois bancos foram roubados simultaneamente em Confresa no mês de janeiro e parte da quadrilha já foi presa.

Atualização 13h45

Em depoimento, o gerente informou que a família foi dominada por dois elementos e foram levados para esconderijo no mato às margens da rodovia perto de Alto da Boa Vista onde permaneceram mantendo a família como refém e o gerente retornou até a cidade para pegar o dinheiro.

Estavam a esposa e o filho de dois anos do gerente em poder do bando. Os dois bandidos se juntaram a mais seis integrantes do grupo criminoso.

O valor levado do banco ainda não foi divulgado. O caso está sendo acompanhado pelo delegado Wiliney Borges. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%