08/12/2014 às 14h26min - Atualizada em 08/12/2014 às 14h26min

Advogado atropela garota, foge do local, desacata policiais e é preso sob suspeita de dirigir alcoolizado

Olhar Direto

O advogado Aluísio Dias de Souza, de 40 anos, foi preso neste sábado (7), após atropelar uma servidora pública, fugir do local, omitir socorro e ainda dirigir sob a influência de álcool. A detenção foi registrada por volta das 19h no final da avenida XV de Novembro, em Cuiabá. O advogado estava a bordo de um Toyota Corolla e aparentava sinais de uso de bebida alcóolica.

A prisão só foi possível depois que populares relataram a policiais sobre o acidente, registrado no cruzamento da Tenente Coronel Duarte com a rua Major Gama. O rapaz acabou detido por uma equipe do 1º BPM quando estava quase em frente a sede da unidade, cerca de 500 metros depois.

Após ser acompanhado por uma equipe da PM que determinou que ele parasse e deixasse o interior do veículo, o advogado atendeu a ordem. Porém, ao descer do carro, passou a agredir verbalmente um profissional da imprensa que acompanhava o desfecho da ocorrência. Ele chegou agredir o fotojornalista derrubando o parelho celular do repórter fotográfico que havia testemunhado minutos antes o atropelamento.

O advogado demonstrou ainda instabilidade perante conversa com os policiais e, ainda segundo o Boletim, não atendeu as determinações legais dos policiais na abordagem. Questionado se faria o teste do etilômetro, Souza se recusou e foi conduzido pra uma unidade policial.

Ao Olhar Direto a servidora pública L.G.S., de 24 anos, vítima do acidente, relatou que estava trafegando nas imediações do antigo supermercado Modelo (na rua Tenente-coronel Duarte) e quando parou sua motocicleta Honda Biz para aguardar que o semáforo ficasse no ‘verde’ possibilitando que ela prosseguisse, foi atropelada.

“Ele parou atrás da moto e ficou me pressionando. Queria que eu passasse de todo jeito. Quando ele empurrou o carro contra a moto, eu pulei”, contou a vítima que estava com uma amiga na motocicleta. “Levei um grande susto”, relatou a jovem.

O advogado foi conduzido até o Cisc do Planalto onde foi lavrado o Boletim de Ocorrência (número 2014/ 338888) por crime contra a administração pública ( desobediência), omissão de socorro, dirigir sob a influência de uso de álcool e também por danos materiais.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.1%
4.6%
16.9%
77.5%