17/11/2014 às 19h58min - Atualizada em 17/11/2014 às 19h58min

Gerência de Operações Especiais ganha armamento de ponta

Assessoria/PJC-MT

Um novo armamento de ponta foi entregue na manhã desta segunda-feira (17.11) para uso dos policiais da Gerência de Operações Especiais (GOE), da Polícia Judiciária Civil. As novas submetralhadoras 9mm vão dar mais poder de enfrentamento aos grupos criminosos que agem no Estado de Mato Grosso. As armas foram adquiridas com recursos do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública e a Polícia Judiciária Civil.

O delegado titular do GOE, Marcos Veloso e Silva, disse que hoje em termos de armamento e treinamento, os policiais da Gerência não está atrás de nenhuma outra unidade. "A Gerência de Operações Especiais é uma unidade responsável pela a parte operacional de ponta de toda a Polícia Judiciária Civil. Hoje a estrutura que estamos recebendo vai nos dar maior certeza de resultado melhor na ponta", disse Veloso

Conforme o delegado, a unidade, devido suas atribuições e as atividades, trabalha com armamento calibre 9mm, diferente das delegacias de polícia, que utiliza pistola calibre 40. "Estamos hoje inaugurando nosso núcleo de inteligência, a nossa sede da Divisão Anti-bombas e estamos recebendo um armamento diferenciado do convencional da Instituição", destacou.

As instalações do prédio da Gerência, no bairro Centro América, em Cuiabá, também passaram por melhorias no alojamento, sala de armas, núcleo de inteligência, gabinete dos delegados, e outras partes da unidade especializada da Polícia Civil.


O secretario de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, visitou as instalações e reforçou o investimento da segurança pública na compra das armas. "O investimento em segurança pública é muito complexo. Não adianta ter armamento se não tem treinamento. Todo o empenho da Secretaria de Segurança Pública, como da Polícia Civil, é para dar melhor segurança à sociedade. Todos os investimentos feitos na área de segurança é para ter um reflexo direto na redução da criminalidade e aumento da sensação de segurança da sociedade', afirmou.


O delegado geral da PJC, Anderson Garcia, disse que uma polícia humanista se preocupa com a qualidade de vida dos servidores, com o ambiente das instalações, com a formação e treinamento técnico-operacional, e tudo isso é percebido na Gerência, que segundo Garcia, está alinhada ao planejamento estratégico da Polícia Civil. "A função do GOE é de assessoramento a todas unidades da Polícia Civil e são milhares de pessoas beneficiadas e agora não temos mais preocupação com armamento", disse.

Os policiais do GOE são empregados em ações operacionais da Polícia Judiciária Civil em todo o Estado de Mato Grosso. A unidade atua no cumprimento de mandados de prisão de alta periculosidade, repressão direta a roubos a bancos, na modalidade "Novo Cangaço", e operações de repressão ao trabalho escravo e conflitos agrário, entre outras atividades complexas.

Estiveram presentes o secretário adjunto da Inteligência da Sesp, Wylton Massao Ohara, o diretor de Atividades Especiais, Romel Luiz dos Santos, o diretor de interior, Aldo Silva da Costa, o diretor de inteligência, Marcelo Felisbino Martins, os delegados da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), Flávio Henrique Stringueta e Cleibe Aparecida de Paula, a delegada da Dema, Maria Alice Amorim, entre outros delegados, investigadores e escrivães. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.3%
19.1%
74.1%