21/10/2014 às 14h24min - Atualizada em 21/10/2014 às 14h24min

Policias civil e militar se unem para enfrentar o tráfico de drogas na cidade

Interessante News - Ezio Calanca Garcia - Reporter
Interessante News

Uma ação conjunta entre as policias civil e militar de Nova Xavantina debelou nesta quinta feira, 16, um importante ponto de venda de drogas no perímetro urbano cidade, que funcionava numa residencia da Praça Central, maior logradouro público do setor Nova Brasília e um dos maiores da cidade.

Segundo os policiais, a movimentação de consumo e tráfico de drogas no local é motivo de investigação há meses pelos contingentes militar e civil do município, que resultou na ação desta semana.

Foram detidos na operação Bruno Vinicius da Silva, de 19 anos, e sua avó, Zuleide Carmo de Melo, de 55 anos, que também participava da mercância de entorpecentes. Com eles foram apreendidos três porções de crak e uma de maconha, tudo pesando cerca de 300 gramas de droga.

                                                                        SETE COPAS

Na tarde desta sexta feira, 17, o delegado de polícia civil de Nova Xavantina, Dr. Sidharta Vidigal de Almeida, e o Comandante do Destacamento da Polícia Militar local, 1º Sargento Cristiano Franco, falaram à imprensa sobre a operação.

Segundo Cristiano, Bruno é conhecido como "Bruno Sete Copas", irmão de outro conhecido traficante na cidade, Alexandre Sete Copas, que atualmente está preso por tráfico. A alcunha vem do local em que a família começou a mercância, o Bar Sete Copas, situado no bairro Toneto, segundo o Comandante, antigo e tradicional ponto de venda de drogas na cidade.

A avó de ambos, Zuleide, também faz parte do tráfico e foi presa com Bruno. Junto com a dupla também foram conduzidos para a PM e depois liberados, cinco usuários que estavam no local.

Na ação foram recuperados diversos pertences furtados, como notebooks, jóias, aparelhos eletro eletrônicos, bujões de gás, vídeo games e outros.

Os policiais pedem aos moradores da redondeza que tiveram estes objetos furtados de suas residencias, que procurem as polícias civil e militar do município para fazerem o reconhecimento dos produtos.

Segundo eles, o cerco aos traficantes vai continuar e se intensificar, com o trabalho conjunto das duas corporações nas operações. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.4%
1.4%