Araguaia Notícia  Publicidade 1200x90
Araguaia Notícia  Publicidade 728x90
10/12/2023 às 14h19min - Atualizada em 10/12/2023 às 14h19min

Estudo aponta crescimento de apreensões de drogas em MT e questiona aumento de circulação da cocaína

Olhar Direto
Araguaia Noticia
A segunda edição de Cartografias da Amazônia Legal, estudo elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e Instituto Mãe Crioula, foi divulgada no dia 30 de novembro, e traz um panorama completo sobre a violência nos nove estados que compõem a bacia Amazônica, incluindo, principalmente, o crescimento do narcotráfico na região.

A Amazônia é uma área de trânsito obrigatória para a passagem de cocaína e skank, drogas ilícitas que saem de países da Comunidade Andina que se destacam na produção de entorpercentes provenientes da folha de coca, conforme o estudo. A região também faz fronteira com países como Bolívia, Colômbia, Peru e Venezuela, que contém grupos criminosos com contatos e acordos estabelecidos com os grupos faccionais do Brasil, como Comando Vermelho (CV) e Primeiro Comando da Capital (PCC).

Com isso, há conexões entre países produtores e países consumidores e os fluxos da droga necessariamente passam pela região, servindo também como área de trânsito para a África e Europa. Mato Grosso, que faz fronteira com a Bolívia, possui uma extensa rede de estradas vicinais, que são utilizadas como rotas, principalmente, para a entrada de cocaína no Brasil. Com isso, Cuiabá é uma das cidades destacada como nexo estruturante das redes do narcotráfico na Amazônia Legal.

Um nexo estruturante é como um dos principais nós de organização das redes do crime organizado, que dinamizam os fluxos de mercadorias ilícitas. Na capital mato-grossense, a facção Comando Vermelho tem controle sobre este mercado, e por meio das periferias, consegue manter o domínio.

Por conta da grande entrada de drogas no estado, Mato Grosso teve o maior número de apreensões de cocaína, realizadas pelas polícias estaduais em 2022. Ao todo, foram apreendidas 14,4 toneladas do entorpecente. Em comparação com 2019, o estado teve um crescimento de 248,1% no número de apreensões. Em toda a Amazônia Legal, 55% do volume total apreendido da droga, pela Polícia Rodoviária Federal, em 2022, ocorreu em Mato Grosso. Ao todo, foram 15,8 toneladas de cocaína retiradas do tráfico.

Conforme análise apresentada na edição do Cartografias da Amazônia Legal, há duas hipóteses para o crescimento das apreensões de cocaína na região. Uma delas é a eficiência das polícias locais, que estariam mais focadas no esforço de apreensão de drogas e outros ilícitos. E a segunda seria que a circulação de drogas aumentou.

Esta segunda hipótese parece mais plausível diante do relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc), divulgado em junho deste ano, que trata da produção, tráfico e consumo de cocaína no mundo. Analisando dados dos três principais países onde há cultivo de coca, o órgão da ONU afirma que houve um crescimento da ordem de 35% das plantações de coca em 2021. Este aumento da produção resultou no crescimento de 16% da produção de cocaína pura e no crescimento de 42% das apreensões globalmente

Araguaia Notícia  Publicidade 790x90


Entre no grupo do Araguaia Notícia no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI)
Notícias Relacionadas »
Comentários »