07/10/2014 às 07h55min - Atualizada em 07/10/2014 às 07h55min

Corpo de lavrador assassinado fica exposto sem enterro em cemitério por causa da eleição

Ronaldo Couto
Tv Serra Azul / Band

Foi sepultado segunda-feira (6) o trabalhador braçal Mateus Libório de Moraes, 61 anos, assassinado com duas facadas numa chácara perto do lixão de Aragarças-GO na divisa com Mato Grosso. O crime aconteceu na tarde de sábado, todavia o corpo ficou exposto domingo no cemitério sem sepultamento porque era feriado e dia de eleição e todo mundo foi votar. O corpo foi deixado na noite de sábado e o coveiro disse que ficou sabendo da situação na tarde de domingo e aguardava autorização para sepultá-lo.

O mau cheiro provocou revolta dos moradores do setor Primavera que reclamaram da situação e consideraram esse fato um desrespeito com o morto. Segundo informações o cadáver estava sem roupas e exposto em cima de um túmulo e já bastante inchado. 

O corpo de Mateus foi deixado pelos funcionários do IML alegando que o órgão não dispõe de geladeira para acondicionar o corpo. Normalmente um corpo demora a ser sepultado quando está aguardando a presença de familiares ou identificação.

Mateus foi assassinado por um colega de trabalho após discutir por causa de escavadeira que ele pediu emprestado. O autor do crime - que não foi identificado - não gostou do pedido de Mateus e esfaqueou no abdômen. A vítima morreu no local da confusão.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%