03/10/2014 às 12h20min - Atualizada em 03/10/2014 às 12h20min

Sem condições para pagar fiança do pai, filho do Sebastião Prado pede ajuda

Agencia da Noticia
Reprodução

O Rodrigo Estanislau Prado, filho do líder da Associação dos Produtores Rurais da Suiá Missú, Sebastião Prado na tentativa de ver o pai livre da cadeia e sem condições para pagar pede ajuda dos amigos, companheiros e ex-produtores da Suiá Missú, para levantar o valor de R$ 30 mil estipulado pelo juiz.

No próximo dia 07 de outubro completará 2 meses que Sebastião está preso no Centro de Detenção de Goiânia, “não temos condições de pagar a fiança, tudo o que tínhamos já gastamos com advogado e meu pai gastou muito correndo atrás de resolver o problema da Suiá Missú, vivia em Brasília e tudo isso gasta, por isso precisamos da ajuda dos amigos que puderem doar alguma coisa para levantar o valor de R$ 30 mil para tirar meu pai da cadeia”, diz um filho angustiado ao ver o pai preso a mais de 2 meses sem ter cometido nenhum crime.

“Único crime que meu pai cometeu foi tentar ajudar as pessoas aterem de volta o seu lar, ele sempre pensa naquelas pessoas que estão abandonadas nas margens da rodovia, se isso é crime, não sei mais o que não crime neste país”, disse Rodrigo.

O advogado Luiz Alfredo disse que fiança é alta, “é uma fiança alta, não é barato e isso dificulta, pois a família já não tem mais dinheiro, o Tião sempre correu atrás de resolver o problema da Suiá Missú, e nunca pensou que seria preso, um golpe tão baixo”, disse.

“Agora temos a esperança de rever o processo e despachos parecidos com o nossos, quando a terra era imemorial, ou seja, não tinha índios morando em 88, e o Tião precisa estar solto para nos ajudar nesse processo, ele é o líder, e se um dia conseguirmos reverter a situação é a teimosia dele que devemos tudo isso, pois ele é batalhador e nunca deixou de acreditar”, disse Alfredo.

O filho disse que se alguém quiser ajudar pode entrar em contato com ele através do telefone (62) 9953 7108, “qualquer quantia serve, meu pai preso não vai ajudar a reverter o processo da Suiá Missú, por isso ele precisa da ajuda de todos, pois se tem uma esperança, ainda existe chance e não podemos desistir”, pediu Rodrigo. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.3%