15/08/2014 às 13h12min - Atualizada em 15/08/2014 às 13h12min

Médico exerce função ao mesmo tempo em duas cidades de MT

Agência da Notícia
Agência da Notícia

Segundo um relatório da Auditória Geral do Estado de Mato Grosso (AGE) revelou que existem cerca de 1,5 mil funcionários públicos exercendo funções irregular, o caso que mais a atenção dos auditores da união foi de um médico que está lotado em Confresa em um órgão do governo federal e em Cuiabá em um órgão do governo do Estado, as duas funções tem 40 horas semanais cada.

O nome do médico não foi revelado, pois relatório está em segredo de justiça, porém todos os trabalhadores públicos que aparecem na lista serão notificados dentro dos próximos dias e terão 30 dias para preparem suas defesas.

A área que mais apareceu função irregular foi na Saúde e Educação, onde existem cerca de 70% dos casos revelados. O secretário adjunto de Gestão de Pessoas da Seduc reconheceu o problema. “Abre-se um processo, notifica-se o servidor. O servidor tem um prazo legal para responder se ele pede exoneração de um dos cargos não acumuláveis, ou se ele discorda da notificação e aí ele já apresenta a defesa”, disse Edilson Pedro Spenthof.

“A pena poderá chegar à demissão caso ele não consiga justificar a sua situação”, declarou o auditor geral do Estado, José Alves Pereira Filho.

Para se chegar aos números, foi feito cruzamento de dados dos Tribunais de Contas e AGE, que coordenou os trabalhos. E as irregularidades foram constatadas em praticamente todos os municípios de Mato Grosso. A maioria dos casos, 427, está em Cuiabá, e Várzea Grande, na região metropolitana, com 221. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%