28/07/2014 às 18h17min - Atualizada em 28/07/2014 às 18h17min

Cinema Indígena: projeto de extensão da UFMT é contemplado com recursos do MEC

Patrícia kolling
Reprodução

O projeto Cineclube Roncador: fortalecendo o protagonismo indígena da comunidade Xavante, por meio de narrativas audiovisuais, elaborado por docentes da UFMT/Campus do Araguaia, foi selecionado pelo edital do Programa de Extensão Universitária (Proext 2015) para receber recursos financeiros visando sua realização para o próximo ano. O programa proporciona incentivo e fomento a Extensão Universitária e foi criado em uma parceria entre o Ministério da Educação (MEC) e Ministério da Cultura (MinC).

Através da capacitação e instrumentalização para as tecnologias audiovisuais, o projeto pretende criar mecanismos para tornar os indígenas autores de suas narrativas, possibilitando que estes apresentem suas experiências sócio culturais, lutas políticas e identitárias, a partir de suas experiências de vida, por meio de uma linguagem universal, o documentário.

As comunidades escolhidas para participar da iniciativa são as aldeiasSão Marcos e Namunkurá, localizadasna Terra Indígena São Marcos,a aproximadamente 130 km do Campus da UFMT - Barra do Garças/MT.“Esperamos que as produções audiovisuais possam contribuir para a valorização das culturas e memórias dos povos indígenas e das identidades étnicas”, acredita o coordenador do projeto, professor Gilson Costa.
A ação é interdisciplinar e envolve professores e estudantes dos cursos de Jornalismo e de Geografia, da Universidade Federal de Mato Grosso - campus Araguaia. Sua coordenação é formada pelos professores Gilson Costa, Patrícia Kolling, Magno Silvestri e Marcos Torres.

O início do projeto está previsto para fevereiro de 2015, quando a equipe iniciará a vivência nas aldeias, a exposição de filmes e realização de oficinas para capacitação dos jovens indígenas. Como resultado final, o projeto prevê a produção de cinco documentários de média metragens, exibição nas comunidades e uma Mostra de Vídeo que será realizada na cidade de Barra do Garças. O projeto deixará como legado, equipamentos de produção audiovisual que poderão ser utilizados pelos indígenas para produção de outros filmes. Para a realização dos trabalhos, está previsto o repasse de R$ 98.080,00.

No total, a UFMT teve dois programas e dois projetos contemplados com recursos. Os programas contemplados têm como títulos “Transporte rodoviário de toras e madeira bruta: prevenção de acidentes de trânsito”, coordenado pela professora Mariana Peres de Lima, e "Educação Patrimonial no Museu de Arte Sacra de Mato Grosso", coordenado pelo professor Renilson Rosa Ribeiro. Já os projetos, além do Cineclube Roncador, também foi beneficiada a ação “Clínica de Direitos Humanos e Meio Ambiente da UFMT”, coordenado pelo professor Patryck de Araújo Ayala.

_______________________________________________________________
Fotos Ilustrativas: 01 -Cineasta indígena, durante oficina de documentário
02 -.Cineasta indígena, durante oficina de documentário
03 -Corrida de tora, ritual da cultura Xavante.

Mais informações com Gilson Moraes, fone 66 8118 2947 ou Patrícia, 66 81056800
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.3%