24/07/2014 às 23h05min - Atualizada em 24/07/2014 às 23h05min

Ex-deputado faz transplante e pede apoio de amigos

Ronaldo Couto
Araguaia Notícia

Foi operado quinta-feira (24) em Brasília o ex-deputado de Mato Grosso e ex-candidato a prefeito de Barra do Garças José Arimatéia que recebeu o transplante de um fígado. 

Ele está fazendo um tratamento de uma cirrose hepática que chegou a levar o ex-parlamentar a fica em coma e ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UT) em Brasília. Ari como é conhecido em Barra do Garças teve uma melhora no seu quadro clinico de duas semanas para cá e permaneceu em Brasília acompanhado pelos médicos aguardando a doação de um fígado.

Em função do alto custo dos medicamentos, Arimatéia resolveu recorrer aos amigos para ajudá-lo na aquisição de medicamentos. Um dos remédios que precisa tomar custa em torno de 500,00 uma ampola (dose).

“Eu nunca fui uma pessoa vaidosa e como estou precisando decide procurar os amigos. Como não posso ir até a casa deles estou pedindo ajuda para custear os medicamentos”, disse Arimatéia ao repórter Ronaldo Couto terça-feira por telefone.

Ari que era o quinto na fila aguardando a doação de fígado teve sorte que a fila evoluiu e ele foi chamado para operar nesta quinta-feira.

Em Barra do Garças, o sobrinho do ex-deputado, Gláucio da Silva, disse que está na torcida pelo tio. Ele passou por uma situação idêntica no ano passado quando teve que receber o transplante de um fígado. “Comigo deu certo e com fé em Deus também dará certo com o meu tio. E realmente os remédios são caros e vale a pena ajudá-lo”, completou.

A cirurgia de cirurgia de transplante de fígado pode demorar de oito a dez horas e após a operação o paciente é encaminhado para UTI onde recebe toda acompanhamento profissional para evitar uma rejeição.

A história de Arimatéia está intimamente ligada ao período pós-ditadura na política de Barra do Garças onde se elegeu deputado estadual e depois foi candidato a prefeito em 1988.

No esporte, o ex-deputado teve uma participação importante como um dos fundadores do Barra do Garças Futebol Clube (Galo da Serra) em 1978. Em artigo que escreveu para imprensa de Mato Grosso o ex-deputado lembrou o início do Barra no Campeonato Mato-grossense quando chegou a perder 13 a 1 para o Operário em Campo Grande e de 8 a 0 para o Dom Bosco.

Nesse artigo, Ari fazia referência a um bate papo que ele teve com Nelsinho barbeiro de Cuiabá onde falaram sobre o futebol de MT e de ex-jogadores de Cuiabá que jogaram também em Barra do Garças como o saudoso Ayres, que segundo Nelsinho, foi seu companheiro e amigo. Do Alisson, um mineiro que jogava no meio-campo. Foram relembrados craques como Bife, Sudaco, China, Poxoréo e tantos outros.

Depois de encerrar a carreira política, Arimatéia se tornou um articulista político respeitado em Cuiabá com artigos publicados nos principais jornais e sites do estado.

Para as pessoas interessadas em ajudar o Arimatéia, ele deixou a conta bancária da sobrinha Marli Faria Santos, que mora em Brasília e está lhe ajudando durante o tratamento: número da conta: 26.451-2 e agência: 4597-7 do Banco do Brasil. Mais informações através do telefone da esposa do Ari, dona Lourdes 065 8121 1482.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%