05/08/2022 às 10h21min - Atualizada em 05/08/2022 às 10h21min

Detentos mataram colega de cela e simularam suicídio, diz DHPP

Os dois suspeitos negaram a autoria do crime; caso aconteceu na madrugada de terça-feira

Midia News
Araguaia Notícia
A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) identificou os suspeitos pelo homicídio do detento César Pereira dos Santos, encontrado morto em uma cela do Presídio Ahmenon Lemos Dantas, em Várzea Grande, na terça-feira (2). Segundo a DHPP, eles foram mortos por Adriano Baccarin, de 32 anos, e Lucas Reis Gramkow, de 24.
 
Os suspeitos já estão presos e, conforme a DHPP, entraram junto com César na cela do Bloco Industrial, local onde ficam os presos que trabalham dentro da unidade, na noite de segunda-feira (1º) por volta das 19h, e permaneceram por lá até a hora em que a morte foi anunciada, às 5h30 de terça-feira (2).
  
De acordo com os investigadores, ao chegar ao local, os policiais civis encontraram o corpo de César sentado com uma espécie de “cordinha trançada” ao redor do pescoço e amarrada no teto do cubículo da cela, dando a entender, a princípio, que se tratava de um suicídio por enforcamento.
 
Ocorre que no corpo de César não foram encontrados indícios de que ele tenha tirado a própria vida. Já nas mãos de Adriano, um dos suspeitos, um policial notou que existiam sinais como “se houvesse enrolado uma corda e posto força”. O fato foi confirmado, posteriormente, pela perícia.
 
Por conta disso, os suspeitos foram autuados em flagrante pelos crimes de homicídio qualificado, organização criminosa e fraude processual.
 
Nesta quarta-feira (3), após audiência de custódia remota, o juiz Murilo Moura Mesquita converteu a prisão flagrante em preventiva.
 
Adriano e Lucas eram companheiros de cela de César e, para a Polícia, se aproveitaram do momento de repouso para matá-lo. Os suspeitos negaram a autoria e disseram que acordaram no dia seguinte e encontraram o corpo do colega de cela.
 
Relembre

Dois detentos foram encontrados mortos na madrugada de terça-feira (2), no presídio. Além de César, morreu naquele dia Adriano Martins da Silva.
 
Os reeducandos foram encontrados mortos em horários e locais diferentes.
 
Adriano foi localizado por policiais penais por volta das 3h30, no Bloco da Triagem. Já César estava no Bloco Industrial e foi encontrado morto às 5h30.
Notícias Relacionadas »
Comentários »