10/07/2014 às 07h51min - Atualizada em 10/07/2014 às 07h51min

Sema de Cuiabá quer fechar abrigo de animais de Barra do Garças

Ronaldo Couto
Infocampus - UFMT/BG

Após uma denúncia anônima em Cuiabá, uma equipe de fiscais da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) esteve em Barra do Garças vistoriando as condições de funcionamento do abrigo de animais mantido pela organização não-governamental (ong) Associação Amiga dos Animais (AAA) dirigida pelo Francisco Cândido Garrincha e deu prazo de sessenta dias para promover adequações sob pena de fechar o local.

A notícia contrariou a população de Barra do Garças porque a associação faz um trabalho elogiável no município de abrigar animais abandonados como gatos, cachorros e animais silvestres feridos que são encontrados em rodovias ou no parque ambiental. Garrincha disse que ficou surpreso com a vistoria da Sema de Cuiabá pois tem se esforçado para oferecer um trabalho para comunidade. Ele lembrou que protocolou um pedido de vistoria na Sema já faz dez anos e nunca o órgão estadual veio atrás e também nunca se manifestou contrária ao trabalho da associação. 

Entre as exigências colocadas pelos fiscais da Sema de Cuiabá estão a construção de novas gaiolas e uma cozinha para preparar a comida dos animais. Garrincha disse que já está providenciando essas modificaões porém pediu mais prazo a Sema. 

A visita ao abrigo de animais já está suspensa. Em função disso, jovens decidiram fazer uma campanha na rede social a favor da associação e com críticas a ação da Sema. A denúncia anônima informava que os animais estariam sendo maltratados até mesmo passando fome no abrigo, fato que o Garrinch nega.

"Podem perguntar para aos parceiros locais da associação como bombeiros, policiais e órgãos ambientais que sabem da seriedade do trabalho da associação. Aqui temos a colaboração de veterinários que nos ajudam a cuidar dos animais. Estamos fazendo o bem aos animais abandonados”, salientou Garrincha.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%