17/05/2022 às 08h15min - Atualizada em 17/05/2022 às 08h15min

Caminhoneiro que caiu no Portão do Inferno assiste vídeo do acidente pela primeira vez

Ele caiu no precipício a uma altura de 80 metros, equivalente a um prédio de 28 andares.

Araguaia Notícia com G1 MT

O motorista de caminhão, Daniel Francisco Sales, de 65 anos, está se recuperando na enfermaria do Hospital Municipal de Cuiabá depois da brusca queda no Portão do Inferno, em Chapada dos Guimarães, a 65 km da capital. Só agora, depois de deixar a UTI, ele conseguiu ver imagens do acidente.

Daniel caiu de uma altura de 80 metro, o equivalente a um prédio de 28 andares. A equipe da TV Centro América teve acesso ao local da queda do caminhão e conversou com Daniel. A diarista Vera Lúcia Ramalho, esposa de Daniel, viu o acidente pela televisão. Ela contou que ficou surpresa com as imagens e achou que o marido tivesse morrido na queda. "Achei que não tivesse se salvado", disse.

Mesmo após a queda, Daniel relatou que não perdeu a consciência e conseguiu ouvir tudo o que se passou durante o resgate. Ele transportava um caminhão lotado de garrafões de água mineral e fazia uma curva acentuada.
"Joguei para aquele lado do paredão para livrar um caminhoneiro que estava subindo", disse.

Segundo o motorista, há um mês ele conseguiu escapar de uma situação semelhante porque o veículo que ele dirigia ficou sem freio enquanto trafegava pela mesma estrada onde aconteceu o acidente. Na primeira vez, ele conseguiu controlar o caminhão, mas, na segunda, não foi possível.

Ele também disse que o proprietário do caminhão ainda não falou com ele sobre o que aconteceu. "Até hoje ele nunca me procurou para, ao menos, saber se estou vivo", disse. O proprietário do veículo é o empresário Gilson Wellington do Nascimento. Ele afirmou que a manutenção do caminhão estava em dia. "Você acha que eu ia soltar um caminhão sem freio para ir para a serra?", disse o empresário à reportagem.



Grito por ajuda

Motoristas que passavam pelo local no momento do acidente ajudaram Daniel a ser resgatado. O motorista contou que ouviu pessoas comunicando os serviços de resgate e gritou que estava vivo e preso as ferragens. Cerca de 30 minutos depois do chamado os bombeiros já estavam no local e montavam os equipamentos para descer de rapel e chegar mais rápido para o resgate do sobrevivente.

Segundo os bombeiros, a descida é perigosa porque o paredão é composto por pedras que podem se soltar a qualquer momento. "Quando o caminhão caiu eu não senti nada, só vi que estava amarrado pelo cinto de segurança. Quando o veículo bateu no chão foi que o cinto rebentou", disse o caminhoneiro. Ele foi içado pelo helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e levado para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

O motorista estava com fratura exposta e com sangramento. Ele passou sete dias internado na UTI.

O acidente

Uma câmera de monitoramento registrou o momento em que o caminhão perdeu o controle da direção e bateu no paredão de rochas do Portão do Inferno, em Chapada dos Guimarães. Após a batida, ele caiu no precipício.

O caminhão transportava galões de água, que caíram do veículo e se espalharam pela pista. A rodovia foi interditada nos dois sentidos.
Notícias Relacionadas »
Comentários »