12/05/2022 às 08h56min - Atualizada em 12/05/2022 às 08h56min

“É um tapa na cara”, diz irmão de diarista que morreu em acidente

Mecânico Jefferson Veiga dirigia veículo que provocou acidente, resultando na morte de duas pessoas

Midia News
Araguaia Notícia
Familiares e amigos da diarista Marcelene Lucia da Silva Pereira, de 39 anos, estão indignados com a decisão da Justiça em conceder liberdade provisória, sob pagamento de fiança, ao mecânico Jefferson Nunes Veiga.
 
O mecânico foi o responsável por um acidente no dia 8 de abril, na Avenida Filinto Muller, em Várzea Grande, que provocou a morte da diarista e do motorista de aplicativo Igor Rafael Alves dos Santos Silva, de 22 anos. Jefferson estaria embriagado no momento da batida.
 
“É horrível. Fiquei sabendo que ele só não saiu ainda porque não conseguiu todo o valor”, lamentou Mauro Ricardo Pereira, irmão mais velho da diarista.
 
A fiança estipulada para a soltura Jefferson é de R$ 48 mil, valor esse que a defesa luta para reduzir.

Não conseguiram concluir o inquérito e ai solta o cara por R$ 24 mil cada vida. É um tapa na cara da gente. A gente fica perdido, não consegue entender porque não concluíram. O que está faltando pra justiça funcionar direito nesse país?
 
No pedido, o advogado Rodrigo Pouso Miranda alegou que o acusado é mecânico, trabalha na oficina de bicicleta da família e ganha por mês cerca de R$ 1,2 mil. Além de morar na casa dos pais, que também são assalariados.
 
“Não conseguiram concluir o inquérito e aí solta o cara por R$ 24 mil cada vida. É um tapa na cara da gente. A gente fica perdido, não consegue entender por que não concluíram. O que está faltando para a justiça funcionar direito nesse País?”, questionou Rafael.
 
O habeas corpus concedido pela Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.
 
Em seu voto, o desembargador relator Marcos Machado citou a inconclusão do inquérito após 25 dias de investigação.
 
“Em outras palavras, não há perspectiva de conclusão do inquérito policial para definição jurídica dos fatos investigados [se culposos ou dolosos]”, consta na decisão.
 
A empresária Loíla de Sousa também reivindicou justiça à amiga. “Uma família querendo aplaudir sorrindo porque seu filho assassino pode ser solto por pagar uma fiança de R$ 48 mil. Quanto valem duas vida?”, questionou.
 
“Dizem que ele é provedor de família. E as crianças que ficaram sem a provedora delas?”, continuou Loíla.
 
Marcelene deixou três filhas de 16, 11 e 5 anos, que atualmente moram com uma de suas irmãs.
 
Contramão
 
O acidente ocorreu na manhã do dia 8 de abril.
 
Jeferson conduzia um Corolla quando invadiu a contramão e atingiu um Etios, onde estavam o motorista de transporte por aplicativo, Igor Rafael dos Santos, a diarista Marcelene Lucia da Silva Pereira e a filha. 
 
A mulher e o motorista de aplicativo morreram no local e a criança foi encaminhada ao Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande.
 
Uma câmera de segurança flagrou a colisão.
 
Nas imagens, é possível ver que o motorista do Corolla invade a pista contrária e bate violentamente contra o Etios. Antes, o veículo quase acerta outro carro que seguia na mesma direção.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.6%
75.2%