02/07/2014 às 20h02min - Atualizada em 02/07/2014 às 20h02min

Polícia Militar realiza Caminhada contra as drogas

Agência da Notícia
Agencia da Noticia

Foi realizada na manhã desta segunda-feira (30-06), a 1ª Caminhada contra as drogas. A caminhada partiu da Avenida Júlio Campos e seguiu até o anfiteatro José Elmo Kuhn, na Praça da Cultura, onde houve uma apresentação artística, no município de Água.

A caminha foi uma iniciativa do Centro de Atenção Pscicossocial de Água Boa (Caps I), em parceria com a Polícia Militar, que é idealizadora do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Poerd).

Segundo a Enfermeira e Coordenadora do Caps I, Denise Rodrigues Paixão, o evento tem como proposta conscientizar toda população quanto ao uso de drogas, tão presente em nosso meio.

O Caps atende pacientes com transtornos mentais severos, persistentes e pacientes com dependência químicas, uma vez que o maior número de atendimentos é relacionado ao uso frequente de substâncias psicoativas, entre elas, o crack.

Os instrutores do Proerd em Água Boa, soldados Bertol e Leopoldo, ressaltaram que a caminhada é importante para envolver toda a sociedade, a família água-boense e, principalmente os jovens, no combate e prevenção ao uso de drogas.

As drogas ilícitas representam o maior problema social brasileiro na atualidade. As drogas mais consumidas por jovens, no Brasil, são a maconha e a cocaína, embora o consumo do crack esteja crescendo assustadoramente.

Além dos malefícios físicos e psíquicos ao usuário, as drogas ilícitas podem ser consideradas uma das principais causas de violência doméstica. Ao lado do Estado, a família possui um papel fundamental na prevenção e no combate às drogas ilícitas.

O Caps e o Proerd querem envolver toda a comunidade na prevenção e combate a esta mazela que vem destruindo vidas e famílias, conscientizando os jovens dos problemas que podem trazer para suas vidas com o uso de drogas, e para isso a instrução é de grande importância.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%