24/02/2022 às 13h27min - Atualizada em 24/02/2022 às 13h27min

Adolescente com 'barriga gigante' faz apelo para conseguir cirurgia no fígado e remédios para tratamento

Mãe disse que a filha tem a Doença de Caroli e precisa de transplante do órgão Hospital informou que se for preciso fazer a cirurgia, a paciente será encaminhada para a fila de espera.

G1 GO
ARAGUAIA NOTÍCIA
A adolescente Ana Clara Rodrigues Franco, de 16 anos, que está com a "barriga gigante" por causa de uma doença rara no fígado, faz apelo para conseguir a cirurgia e pede ajuda financeira para comprar remédios a fim de continuar o tratamento médico. Ela mora com a mãe em Aragoiânia, na Região Metropolitana de Goiânia.

A garota conta que está aguardando pela cirurgia há 11 anos. Quando ela começou a sentir dores e viu a barriga inchar, a família procurou atendimento no Hospital das Clínicas, em Goiânia. Após exames, a equipe médica assinou o diagnóstico de cirrose hepática e Doença de Caroli.

"Choro. Fico com raiva. Tem dias que ela nem quer tomar os remédios. Disse que quer falecer, que não aguenta mais. Eu falo para ela que temos que confiar em Deus", desabafou a mãe, Elisângela Inácio Franco.

A garota disse que sente muitas dores na barriga e mal consegue levantar da cama, além de sentir vergonha da situação.

"Faço aulas online porque tenho vergonha de ir à escola e também porque sinto muitas dores. O povo só me chama de grávida. Quando eu saio, coloco blusa de frio. Tenho vergonha demais", contou Ana Clara.

Em nota enviada nesta quinta-feira (24), o Hospital das Clínicas informou que a paciente está sendo acompanhada pela equipe de gastropediatria e que todos os procedimentos clínicos necessários estão sendo realizados.

Apesar de a própria equipe médica indicar a cirurgia, em 2011, o hospital disse que se for confirmada a necessidade de realização de transplante, a adolescente será encaminhada para uma Central de Transplantes.

Segundo a adolescente, um lado do fígado é seco e não funciona. A cirurgia seria feita para tirar esse lado afetado pela doença e transplantar por um pedaço de órgão saudável, para que todo o fígado funcione normalmente.

Ajuda com remédios

A mãe da Ana Clara está desempregada há mais de um ano, mas como a filha só tem piorado, ela disse que não vê possibilidade de voltar a trabalhar. A prefeitura de Aragoiânia fornece os remédios que ela precisa tomar, mas há poucos meses parou de entregar dois deles.

Segundo a mãe, estes dois remédios custam juntos quase R$ 200. Os demais continuam sendo fornecidos pela prefeitura.

A reportagem enviou e-mails para a prefeitura, nesta quinta-feira, questionando o motivo da interrupação no fornecimento dos medicamentos e aguarda resposta.

A garota recebe auxílio doença de um salário mínimo. A mãe relata que o dinheiro é usado para pagar as contas de água, luz e comprar o básico de alimentos, como arroz, feijão e um pouco de carne.

A mãe e a adolescente moram em uma casa simples e financiada e o dinheiro do auxílio ainda tem que pagar a prestação.

Nota do Hospital das Clínicas

O Hospital das Clínicas da UFG/Ebserh informa que essa paciente está sendo acompanhada pela equipe de Gastropediatria e que todos os procedimentos clínicos necessários estão sendo realizados. Ela passou por consulta no HC no último dia 18/02 e está com consulta agendada para o dia 04/03/2022.

Informamos ainda que, em razão do Código de Ética Médica, e agora também por conta da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), o HC-UFG ou o médico não podem repassar informações sobre o diagnóstico e o tratamento indicado para o paciente.

Se confirmada a necessidade de realização de transplante, ela será encaminhada para uma Central de Transplantes, pois o HC-UFG não realiza transplantes nesse momento.
Notícias Relacionadas »
Comentários »