23/02/2022 às 10h44min - Atualizada em 23/02/2022 às 10h44min

Polícia descarta morte por estupro de bebê e pede novo laudo para descobrir causa

Politec de Sorriso e médicos do hospital da cidade não conseguiram esclarecer hemorragia interna que havia na criança.

Repórter MT
ARAGUAIA NOTÍCIA
A Polícia Civil solicitou exames de necropsia para conseguir elucidar a causa da morte de uma bebê de 8 meses, nesta segunda-feira (21), depois de sofrer convulsões e ter uma parada cardíaca. Natural de Sorriso (420 km da Capital), a criança deu entrada em estado grave em uma unidade da cidade e foi transferida para Cuiabá.

Em coletiva realizada na manhã desta terça-feira (22), o delegado José Getúlio Daniel, responsável pela investigação, explicou a complexidade do caso. “Conversando com os médicos e com os próprios peritos criminais no dia em que a criança foi internada, foi possível constatar que não houve preliminarmente, o abuso sexual. Não existia a materialidade do abuso sexual”, disse.

“Porém, foi dada continuidade às investigações com objetivo de esclarecer o que havia ocorrido especialmente a hemorragia interna que havia na criança e alguns problemas neurológicos que ela apresentava”, continuou o delegado.

Ainda conforme José Getúlio, foi solicitado o exame de necropsia, para identificar o que aconteceu com a criança. “Nós requisitamos a necropsia juntamente com a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa da cidade de Cuiabá. O corpo da criança foi encaminhado para a Politec, na manhã desta terça”, disse.

O delegado continua afirmando que o exame deve mostrar “se existe a materialidade de algum crime, homicídio que seja, ou alguma conduta culposa em desfavor dessa criança”.

A equipe da perícia tem prazo de 10 dias para a conclusão do laudo.

“Porém, como é um caso de urgência, nós pediremos o quão antes seja entregue para que possamos esclarecer se houve ou não, algum crime praticado contra a criança”, concluiu.
O caso

Conforme informado pelo Repórter MT inicialmente, a criança deu entrada em estado grave em uma unidade de saúde de Sorriso na sexta-feira (18).

Por conta da gravidade do caso, a menina foi encaminhada para o Hospital Regional da cidade para atendimento especializado. Lá, ela foi avaliada pelos médicos, que perceberam que ela tinha sinais de abusos sexuais, como fezes na fralda e lacerações na vagina e ânus.

O Conselho Tutelar foi acionado e foi até o hospital. Logo depois, foram até a Polícia Civil onde registraram o caso como estupro de vulnerável. Não há informações sobre quem teria cometido o suposto estupro.

Logo após ser comunicada sobre o suposto estupro, a Polícia Civil e a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foram até o Hospital Regional de Sorriso e começaram os trabalhos de análises.
A menina foi avaliada pelo perito criminal que, em avaliação inicial, não encontrou sinais de lesão anal ou vaginal.
Notícias Relacionadas »
Comentários »