01/02/2022 às 09h26min - Atualizada em 01/02/2022 às 09h26min

Suspeito de torturar e matar esposa é preso em rodoviária após 5 dias do feminicídio

Cerco policial foi feito em Campo Grande (MS) para tentar capturá-lo, mas o homem foi preso horas depois em Cuiabá (MT). Ele é suspeito de torturar a mulher com choques e outras formas de violência

Homem estava foragido desde o crime. — Foto: Reprodução/RedesSociais
Por Renata Barros e Ana Lívia Tavares - G1 MS e Tv Morena
ARAGUAIA NOTÍCIA  


Adailton Freixeira da Silva, 46 anos, foi preso, na tarde desta segunda-feira (31), em Cuiabá (MT). Suspeito de torturar e matar a esposa, em Campo Grande, ele era considerado foragido pela polícia de Mato Grosso do Sul. Ele foi preso na rodoviária da capital mato-grossense pela polícia civil mato-grossense. (veja vídeo acima)

"Ele estava com uma mochila, que indicava que estava prestes a fugir ou mesmo chegando na cidade. Já havia uma notícia que existia um parente dele em Cuiabá então não sabemos se ele estava chegando ou saindo", informou a delegada da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, Maíra Pacheco.

Em entrevista coletiva, a delegada afirmou que conversou com o suspeito pelo telefone. "Pedimos para ele se entregar, após mandato de prisão. Ele disse que tinha advogado e ia se apresentar", relatou a delegada.

Equipes policiais fizeram um cerco no Jardim Batistão, em Campo Grande, durante a tarde desta segunda-feira (31), em busca de Adailton Freixeira da Silva, de 46 anos, suspeito de torturar a esposa até a morte. Os policiais foram também até a residência onde o crime aconteceu, no Portal Caiobá, e fizeram apreensões.

A Polícia Civil e oficiais da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) ficaram cerca de trinta minutos no local, acompanhados de um dos filhos da vítima. Na saída, os investigadores estavam com duas sacolas, com objetos apreendidos na residência.

Vizinhos do casal relataram surpresa ao descobrirem o crime, pois a rotina da família era aparentemente normal.

“A gente estranhou quando tudo aconteceu, porque ele era até muito gentil com todo mundo”, contou uma mulher.

Entenda o caso

Francielle Guimarães Alcântara, de 36 anos, foi vítima de feminicídio e torturada com choques elétricos e pauladas em frente ao filho, de 1 ano, em Campo Grande. De acordo com as investigações da Polícia Civil, acredita-se que a mulher foi mantida em cárcere privado pelo marido, Adailton Freixeira da Silva, de 46 anos, por cerca de um mês, período que foi friamente abusada diversas vezes. A morte da mulher ocorreu em Campo Grande, nessa quarta-feira (26), e o suspeito estava foragido desde o crime.

Segundo as investigações, o corpo da vítima foi encontrado dentro da própria casa, com sinais de estrangulamento, perfurações nas costas, dentes quebrados e cabelos cortados.

"Em mais de 10 anos de polícia, nunca vi um caso tão forte como este", detalha o delegado que recebeu o caso, Camilo Kettenhuber.

CLIQUE AQUI  e entre no grupo de whatsApp do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

CLIQUE AQUI e entre no grupo do telegram do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »