25/01/2022 às 07h37min - Atualizada em 25/01/2022 às 07h37min

Produtores vão protestar doando leite dia 28/1 em Novo São Joaquim e preparam boicote contra laticínios VEJA VÍDEO

Araguaia Notícia
O presidente do Sindicato Rural de Novo São Joaquim-MT, vereador Carlos Royttmen (PSD), disse que o protesto que haverá sexta-feira (28/1) na Câmara Municipal daquele município será no sentido de ‘pressionar’ os laticínios que baixaram o valor que pagam de custo aos produtores de leite que era de R$ 2,00 para 1,60 por litro de leite. Esse valor seria inviável para continuar a produção de leite na região. O prefeito de Novo São Joaquim, Leonardo Farias, apóia aos produtores nessa luta contra os laticínios.   

“Nós queremos uma explicação dos laticínios porque na verdade o custo da produção aumentou e se a maioria concordar vamos suspender o fornecimento de leite as empresas a partir do dia 1º de fevereiro. Outra medida que tomaremos será a distribuição de 10 mil litros de leite ao povo de Novo São Joaquim e da região como protesto a essa medida dos laticínios de baixar o valor que pagam para nós produtores”, frisou.

Carlos Royttmen explicou que é produtor de leite há 26 anos em Novo São Joaquim e lamentou atitude dos laticínios Cajes e CampiLeite que não deram explicações para redução do valor pago aos produtores.

Para quem está na ponta adquirindo os produtos derivados do leite talvez não saibam dos custos que existem na produção de leite desde a manutenção do rebanho leiteiro com sal, fertilizantes, medicamentos e funcionários.

“Nós do Sindicato Rural de Novo São Joaquim, somos favoráveis a manifestação de forma pacifica, ordeira e garantindo o direito de ir e vir das pessoas. Isso porque se a situação não for esclarecida, nós vamos suspender o fornecimento de leite aos laticínios a partir do dia 1º de fevereiro, mas vamos assegurar também o direito daqueles produtores que optarem em continuar entregando o leite”, ressaltou.

A região de Campinápolis, Novo São Joaquim e Nova Xavantina forma uma das maiores bacias leiteiras do Vale do Araguaia. E o leite produzido nessa região é entregue aos laticínios Cajes com sede em Nova Xavantina, mas que tem as fábricas em Campinápolis e Novo São Joaquim; e ainda tem a CampiLeite com sede em Campinápolis.

Frisando que essa bacia leiteira atende 25 municípios na região do Araguaia.  A cidade de Novo São Joaquim produz 28 mil litros de leite por dia; Campinápolis 35 mil litros e Nova Xavantina em torno de 6 mil litros de leite por dia.  
Cerca de 80% desse leite é transformado em queijo, muçarela e requeijão cremoso e outros produtos que são vendidos na Grande São Paulo. Enquanto que 20% abastece a comunidade local.

Carlos Royttmen ressaltou que foram convidados para o evento de sexta-feira em Novo São Joaquim: o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Normando Corral; o presidente da ProLeite, Dolor, com intuito de apoiar aos produtores. E ainda foram convidados o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes; e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi.

CLIQUE AQUI  e entre no grupo de whatsApp do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

CLIQUE AQUI e entre no grupo do telegram do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

Acompanhe logo abaixo vídeo do presidente do Sindicato Rural se manifestando a favor dos leiteiros.


 
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.7%
75.2%