22/01/2022 às 14h25min - Atualizada em 22/01/2022 às 14h25min

Homem que matou mato-grossense enforcada no banheiro é preso após roubar loja

Ele estava usando nome falso quando cometeu o segundo crime. Na delegacia foi reconhecido por policiais civis e acabou confessando de forma fria como matou a namorada

Araguaia Notícia
Está preso o acusado de matar a namorada enforcada no banheiro na cidade de Doverlândia, no dia 17/1, Daniel Pinto Caldas, que foi preso na sexta-feira (21/1), após roubar uma loja e dar nome falso a Polícia Militar, de Elias.

Ao chegar na delegacia, os policiais civis que investigam o caso reconheceram o suspeito e o indagaram sobre o nome dele. Daniel ainda tentou insistir em dizer que era Elias, mas foi logo confrontado e acabou confessando sua identidade e também a autoria do feminicídio brutal que fez contra a mato-grossense, Luzia Pereira Mateus, de 41 anos, com quem namorava há dois meses. Luzia era natural de Campinápolis, na região do Araguaia. 

Ele confessou em detalhes do feminicídio e disse que usou a blusa da vítima para asfixia-la no banheiro e depois fugiu. O crime foi cometido na casa onde Luzia morava. Ela tinha pousado na casa da filha, pois no dia anterior, segundo Luzia, ela foi estuprada e ainda agredida pelo namorado. Na ocasião, ela fugiu e buscou refúgio na casa da filha.

E ao saber pela rede social, de que Daniel tinha viajado para o Pará, Luzia se sentiu mais ‘segura’ de retornar a casa e pegar os documentos na manhã de segunda-feira (17/1) para ir até a delegacia de Caiapônia denunciá-lo, todavia ela foi surpreendida porque o namorado foi até a casa.

A filha, ao perceber que a mãe estava demorando entrar em contato, resolveu ir atrás e encontrou a casa aberta com barulho de chuveiro ligado e com a mãe caído dentro do banheiro.



Assalto a loja

A prisão de Daniel foi possível porque ele voltou a se envolver num crime na cidade de Doverlândia desta de roubo numa loja.

No dia 21/1, por volta das 13:40, a PM foi acionada por uma comerciante, informando que um homem havia entrado no comércio e perguntando se eles vendiam bonés e pediu para ver, neste momento, o criminoso agarrou a vítima pelos cabelos, dizendo que era para ela ficar quieta se não ele a mataria, sendo que ele mostrou que em sua cintura que havia uma arma de fogo.

Logo em seguida o suspeito determinou que a mulher entrasse em um dos provadores de roupa da loja e que retirasse a roupa em sua frente, a vítima relutou dizendo que não iria retirar a roupa e que começaria a gritar, momento este, em que Daniel fechou a porta do provador e ficou por alguns minutos dentro da loja pegando produtos como peças de roupas diversas.

Ele pegou uma bolsa de praia com estampa prateada de abacaxi, um celular de marca Xiaomi e fugiu. Com as informações, a PM conseguiu junto aos comerciantes imagens de câmeras de segurança e conseguiram ver o suspeito entrando e saindo da loja com a referida sacola.

Durante diligencias, a PM conseguiu achar o Daniel perto da rodoviária. Ele tentou correr, porém acabou alcançado e preso. Com o criminoso, os policiais encontraram R$ 270,00 da loja e objetos roubados como um boné da SKOL, uma calça de marca DUDAVI, uma bermuda da marca Evolution, duas camisas da marca Keep e uma da marca Zero Hora, um celular da Xiaomi, um outro celular marca Samsung. Só que na hora da prisão, Daniel deu o nome de Elias.

Ele somente foi desmacarado já na delegacia pelos Policiais Civis que estava acompanhando o feminicídio da Luzia. Ao ser confrontado, ele confessou ser o Daniel e deu detalhes como matou a namorada.

Parabéns a Polícia Militar e a Polícia Civil pela prisão do Daniel que vai agora responder na Justiça pelo crime covarde que praticou.

Foram dois feminicídios no mesmo dia

Alias foram dois, que brilhantemente, foram solucionados pela polícia. No mesmo dia 17/1, em Aragarças, uma jovem de 21 anos foi assassinada pelo companheiro com quem convivia há menos de um mês. O criminoso chegou a fugir e foi preso em Colinas-Tocantins após o trabalho de compartilhamento de informações entre as forças de segurança.

São crimes repugnantes de tirar a vida de outra pessoa que precisam ser punidos da forma mais severa possível. Vale destacar que Luzia tinha menos de dois anos que perdeu o filho. e ficou agora a filha e os netos. Luzia era natural de Campinápolis-MT.

CLIQUE AQUI  e entre no grupo de whatsApp do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

CLIQUE AQUI e entre no grupo do telegram do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.7%
75.2%