09/11/2011 às 20h28min - Atualizada em 09/11/2011 às 20h28min

Leilão de hotel de luxo encerra sem nenhum lance para ser arrematado

Olhar Direto
Serrano Leilões hotel de luxo de Aragarças que iria a leilão

Durou duas horas a expectativa de que fosse aparecer um lance para arrematar o hotel de luxo Toriuá Parque Hotel de Aragarças-GO, na divisa com Barra do Garças. Após esse prazo, o leilão - determinado pela Justiça do Trabalho - foi encerrado por falta de lance. Ninguém se habilitou a comprar o empreendimento às margens do rio Araguaia, um hotel de cinco estrelas avaliado em R$3 milhões, e cujo lance mínimo era R$ 1, 8 milhão, recurso este que seria empregado para quitar dívidas de quase 1,5 milhão.

O leilão foi realizado na comarca de São Luis de Montes Belos, a 280 km de Barra do Garças, de forma presencial e eletrônica com lances pela internet através da empresa Serrano Leilões. A próxima etapa pode ser a reavaliação do preço do bem pelo juiz ou a determinação de que a operação seja por venda direta. Alguns empresários de Barra do Garças demonstraram interesse no empreendimento, porém acharam o pedido inicial 1,8 milhão muito alto pelo fato do hotel ter que ser reformado para funcionar.

Um dos interessados em adquirir o hotel era o empresário palestino Tawfiq Lemun, comerciante em Barra do Garças, porém tanto as condições do leilão quanto o preço o desanimaram.

De acordo com o edital, o vencedor do leilão tem que dar 23% de sinal na hora do lance e pagar o restante com 24 horas. Um assessor do prefeito de Barra do Garças, Wanderlei Farias, informou que o chefe do executivo barra-garcense não participou do leilão e não estaria interessado em adquirir o hotel.

Construído numa área de 73 mil metros quadrados o Toriuá Parque Hotel consiste em dois edifícios com 80 apartamentos, duas piscinas, um lago artificial e ancoradouro para barcos às margens do rio Araguaia. Um dos proprietários, Luis Tavares, informou que os sócios do Toriuá estariam lutando na justiça para saldar as dívidas trabalhistas que seriam de R$ 74 mil e cancelar o leilão do imóvel.

A moradora de Barra do Garças, Maria Senhoria Martins, alegou que tem um título remido do parque hotel e cobrou explicações dos administradores sobre o direito das pessoas que compraram títulos do imóvel. Segundo ela, pelo menos duzentas pessoas compraram títulos do Toruiá.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.3%
4.5%
16.9%
77.3%