04/12/2021 às 10h15min - Atualizada em 04/12/2021 às 10h15min

Policial penal que torturou e manteve namorada em cárcere privado é encontrado morto em casa

O agente apresentava ferimento na cabeça, que seria de uma arma de fogo.

Khayo Ribeiro | Gazeta Digital
ARAGUAIA NOTÍCIA
O policial penal Edson Batista Alves, acusado de torturar e manter em cárcere privado a namorada e o filho dela, foi encontrado morto. O corpo foi localizado em uma casa do bairro Cristo Rei, em Várzea Grande (MT), na tarde desta sexta-feira (3).

Informações apuradas pela reportagem dão conta que o agente apresentava ferimento na cabeça, que seria de uma arma de fogo. Há a suspeita de que o agente tenha cometido suicídio.

Agentes da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estão no local. O corpo do agente será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passará por exame de necropsia – que identificará a causa da morte.

O caso

Mulher de 31 anos e seu filho de 6 anos foram espancados e mantidos em cárcere privado por duas semanas pelo policial penal e ex-chefe do Setor de Operações Especiais (SOE) da Penitenciária Central do Estado.

As vítimas conseguiram fugir na noite de 20 de novembro de 2020 e denunciaram o suspeito, que fazia uso de tornozeleira eletrônica e foi denunciado ao menos 6 vezes por violência doméstica.

O crime chocou os policiais que atenderam a ocorrência. A criança estava com o braço quebrado devido ao espancamento sofrido, além de várias lesões pelo corpo.

A mãe dele, que também está com várias lesões, contou que passou a morar com o agressor há duas semanas após se mudar de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá).
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.3%
5.4%
17.9%
75.4%