30/11/2021 às 06h06min - Atualizada em 30/11/2021 às 06h06min

Mauro Mendes sanciona lei que institui programa Ser Família Habitacional para construção de 20 mil moradias em MT

Araguaia Notícia
Max Aguiar / Olhar Direto 
ARAGUAIA NOTÍCIA 


O governador Mauro Mendes (DEM) sancionou nesta segunda-feira (29), a lei que institui o programa Ser Família Habitacional em todos estado. As obras e ações do programa serão tocados pela MT-Par, que está sob o comando do presidente da entidade, Wener Santos. Aprovado na Assembleia Legislativa há alguns dias, a sanção aprova construção de pelo menos 20 mil casas para famílias de baixa renda do estado. 

Tendo em vista que o principal problema de quem precisa e buscará esse tipo de moradia é a entrada, o programa facilitará os 20%. O programa ainda terá apoio do Governo Federal imóvel pelo programa Casa Verde e Amarela. 

“O Governo Federal financia até 80%, mas a grande dificuldade do programa Casa Verde e Amarel são os 20% de entrada. O estado esta viabilizando subsído para abater a entrada e pagar parcela conforme as condições e cada um. Alguns têm FGTS, outros financiam com mais parcelas. O grande problema é a entrada, mas estamos viabilizando”, explicou Wenner.

CLIQUE AQUI; Participe do grupo de WHATSAPP do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

CLIQUE AQUI: Participe do grupo do TELEGRAM do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

No Instagram, Wener comemorou a ação do governo, da ajuda dos deputados e da madrinha do programa, Virgínia Mendes. "O projeto, idealizado pela primeira-dama do estado, Virgínia Mendes, será executado pela MT-Par, juntamente com a Setasc. Aproveito para parabenizar aos deputados, em nome do presidente da AL, Max Russi, a primeira dama, dona Virgínia, madrinha do projeto, ao governador Mauro Mendes pela confiança, a secretária Rosamaria e a todos que estão trabalhando nesta ação. Muitas famílias de MT terão acesso àmoradia, mais qualidade de vida e proteção", escreveu. 

Para deixar claro, a Lei irá beneficiar pessoas com deficiência, idosos, mulheres vítimas de violência, além e servidores ativos e aposentados.
Notícias Relacionadas »
Comentários »