21/05/2014 às 15h35min - Atualizada em 21/05/2014 às 15h35min

Escritor mato-grossense conta resquícios do passado em livro

Olhar Conceito
Olhar Direto

Uma viagem introspectiva revelando fatos acumulados por mais de dez anos em anotações. Foi assim que o escritor de Barra do Garças, Jarlon Ângelo, confeccionou o livro "Resquícios do Passado" em que ele conta um pouco de sua experiência de vida e narra acontecimentos de um personagem muito especial: Alfredo, que para se desvencilhar definitivamente do passado considerando os acontecimentos ruins, optou em mudar de nome para Christovam Rafael.

O livro é um romance e se passa no nordeste brasileiro, principalmente no Maranhão, evidenciando as riquezas culturais, crenças, danças e o próprio sotaque nordestino. E foi nesse ambiente que cresceu o personagem central deste livro que chegou aos pontos mais altos de ostentação, mas enfrentou adversidades.

O romance revela como que Alfredo ou Christovam Rafael venceu essas dificuldades. O livro "Resquícios do Passado" foi publicado em 2013 pela editora da Faculdade PUC de Goiânia. Jarlon é funcionário público e reside hoje em Barra do Garças.

Durante dez anos ele morou e trabalhou como professor em São Felix do Araguaia. E foi lá, atuando com as crianças do Ensino Fundamental que despertou a vontade de Jarlon de escrever e, principalmente, contar histórias. “Eu quero dividir as coisas que aprendi com mais pessoas e entendo que a literatura é um excelente caminho para isso”, enfatizou.

A capa do livro foi produzida pela esposa de Jarlon, a advogada e administradora na área da Saúde, Mirian Lúcia Honorato, que fez uma pintura retratando os sertanejos cuja vida está contextualizada no romance. “Ao receber o convite para fazer a capa do livro senti que seria uma excelente oportunidade de incentivar a leitura e o senso crítico que também estão permeados nas Artes Plásticas, e, como diz o livro, meditar sobre a importância dos atos das pessoas, compromissos assumidos durante toda a vida e quem sabe além dela”, frisou Mirian.

Jarlon conta que o livro surgiu como uma produção independente em que ele e a esposa procuraram a editora da PUC em Goiânia e praticamente bancaram a publicação, mas agora já estão colhendo os frutos dessa aventura. “Nós já conseguimos recuperar o capital investido no livro e já estamos elaborando outro”, diz o autor.

No próximo livro, Jarlon pretende se aventurar num campo mais polêmico: o espiritismo e os contatos mediúnicos. Um livro psicografado por um político famoso da região já falecido.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »