23/11/2021 às 15h18min - Atualizada em 23/11/2021 às 15h18min

Garota de programa é presa suspeita de roubar clientes e gravar vídeos para chantageá-los

Uma das vítimas foi obrigada a transferir todo o dinheiro da conta para a garota, após um programa.

Araguaia Notícia
G1 MT via ARAGUAIA NOTÍCIA 

Uma garota de programa foi presa suspeita de roubar clientes e gravar vídeos em motéis com eles para chantageá-los, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Segundo a Polícia Civil, a jovem, de 19 anos, foi detida em um motel na região conhecida como “Zero Km”, logo após roubar um cliente, no sábado (20).

De acordo com a polícia, uma das vítimas, de 30 anos, foi até um bar no Bairro Jardim Potiguar e combinou um programa com a profissional . Ambos acertaram os valores e foram para um motel.

Conforme relatos da vítima à polícia, depois de um período no motel, chegou outra garota de programa, de 31 anos, a qual passou a filmar os atos entre o cliente e a outra garota. Logo em seguida, a jovem, usando uma faca, passou a ameaçar e a chantagear o cliente afirmando que divulgaria os vídeos caso ele não fizesse uma transferência no valor de R$ 4 mil.

O cliente teria argumentado que não tinha a quantia total em conta bancária, mas transferiu R$ 2,3 mil, além das horas no motel e o programa sexual. Ao sair do estabelecimento, a vítima compareceu na delegacia de Várzea Grande para registrar um boletim de ocorrência.

CLIQUE AQUI; Participe do grupo de WHATSAPP do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

CLIQUE AQUI: Participe do grupo do TELEGRAM do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

Por meio de imagens de câmeras de segurança instaladas nas proximidades do local, a polícia conseguiu identificar a garota de programa, que também foi reconhecida por foto.

Durante interrogatório na delegacia, ela alegou que houve um desacerto entre eles e o valor transferido era referente a outros dias em que haviam saído com o cliente.

Depois de ouvida, a suspeita foi presa pelo crime de roubo. Segundo a polícia, por possuir registro civil alterado para nome feminino, ela foi autuada com o atual nome conforme consta nos documentos.
Notícias Relacionadas »
Comentários »