21/11/2021 às 11h53min - Atualizada em 21/11/2021 às 11h53min

Vereadores são afastados por suspeita de 'rachadinha'

Operação apreendeu computadores, celulares, documentos e cerca de R$ 10 mil em espécie nas casas e nos gabinetes de dois parlamentares. Eles devem ficar afastados por 120 dias.

Por Guilherme Rodrigues, g1 Goiás via ARAGUAIA NOTÍCIA 

Dois vereadores foram afastados por suspeita de "rachadinha", em Inhumas, na Região Metropolitana da capital. Durante cumprimento de mandados de busca, foram apreendidos computadores, celulares, documentos e cerca de R$ 10 mil em espécie nas casas e nos gabinetes dos parlamentares.

Conforme apurou a TV Anhanguera, os mandados foram cumpridos contra os vereadores Suair Teles, que é o presidente da Câmara, e Paulo Rodrigo de Oliveira Martins. Os dois foram suspensos das atividades parlamentares por 120 dias.

Em nota, a defesa dos dois vereadores disse que respeita, mas não concorda com a operação e com o afastamento dos parlamentares. Disse ainda que vai entrar com um recurso para que eles voltem a exercer os seus cargos.

Quatro vereadores são suspeitos de homofobia após comentários feitos em sessão na Câmara de Goiânia
Vereador de Santa Cruz é preso suspeito de discutir e atirar contra ex-namorado da mulher dele

CLIQUE AQUI; Participe do grupo de WHATSAPP do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

CLIQUE AQUI: Participe do grupo do TELEGRAM do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

Conforme a corporação, um dos vereadores teria empossado no cargo um assessor parlamentar. Porém, exigiu dele o pagamento referente à metade dos proventos percebidos para sua permanência no cargo comissionado.

Com isso, conforme as investigações, o assessor foi obrigado a transferir a metade do salário recebido na Câmara, cerca de R$ 900 ao referido vereador.

A polícia apurou que o dinheiro foi transferido para a conta de um terceiro, que possui ligação com o vereador investigado. No entanto, a corporação não informou por quanto tempo esse esquema funcionava dentro da Câmara.

A Operação Findatur, deflagrada pela Polícia Civil, investiga prática dos crimes de concussão, corrupção passiva e corrupção ativa.
Notícias Relacionadas »
Comentários »