19/11/2021 às 14h53min - Atualizada em 19/11/2021 às 14h53min

Max Russi homenageia personalidades negras e cria lei do Dia Estadual de Tereza de Benguela

Data, que será celebrada em 25 de julho, também homenageia Mulher Negra de Mato Grosso. Solenidade homenageou 147 personalidades, em alusão ao dia nacional do Zumbi Do Palmares, celebrado em 20 de novembro.

Araguaia Notícia
O governador Mauro Mendes (DEM) sancionou, na quinta-feira (18), a Lei 11.577, que institui o dia 25 de julho como o Dia Estadual da Mulher Negra e de Tereza de Benguela. A proposta é de autoria do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Max Russi (PSB). Uma sessão solene, também requerida pelo parlamentar e que homenageou mais de 147 personalidades, em alusão ao dia nacional do Zumbi Do Palmares e da Consciência Negra, foi realizada no Teatro Zulmira Canavarros. Evento contou com show nacional, da cantora nacional Ana Cacimba. 

Na ocasião, que teve a participação da primeira-dama Virgínia Mendes e do senador Wellington Fagundes(PL), foram entregues moções de aplausos, além da Honraria Ancestral e Estatuetas do 1° Prêmio Mato-grossense Tereza de Benguela. Conforme a presidente e co -fundadora do Coletivo do Quariterê, Silviane Ramos Lopes da Silva, foram 22 premiações, 115  homenagens e 10 honrarias. 

De acordo com o deputado Max Russi, a intenção é fomentar o reconhecimento da luta e da pauta da população negra, assim como sua contribuição na sociedade na história do Estado.

“Esse prêmio não é um mero evento, mas é um reconhecimento da luta e da pauta da população negra. Gostaria de dizer ainda que essa é apenas uma pequena parcela de tantas outras personalidades, que tem uma contribuição importante na história de nosso estado, de nosso país”, complementou.

CLIQUE AQUI; Participe do grupo de WHATSAPP do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

CLIQUE AQUI: Participe do grupo do TELEGRAM do ARAGUAIA NOTÍCIA e receba informações em tempo real

Tereza de Benguela - Teresa de Benguela foi uma líder quilombola que viveu em um  quilombo, às margens do rio Guaporé, em Vila Bela da Santíssima Trindade. Ela liderou o Quilombo de Quariterê, após a morte de seu companheiro, José Piolho, morto por soldados.

Rainha Tereza, com era conhecida, comandou uma comunidade de três mil pessoas. Uniu negros, brancos e indígenas para defender o território onde viviam, resistindo bravamente à escravidão por mais de 20 anos. Também geriu a estrutura política, econômica e administrativa da comunidade.
Notícias Relacionadas »
Comentários »