09/11/2021 às 07h43min - Atualizada em 09/11/2021 às 07h43min

Bombeiros encontram corpo de homem que caiu de cachoeira

Bombeiros encontram corpo de homem que caiu de Cachoeira de Itumirim por foto (Foto: Reprodução - Arquivo Pessoal)
Larissa Feitosa / Mais Goiás via ARAGUAIA NOTÍCIA 

O Corpo de Bombeiros encontrou o corpo do homem que se desequilibrou e caiu em uma cachoeira que fica em Itumirim (Minas Gerais), a cerca de 90 quilômetros de Goiânia, na tarde do sábado (6). Trata-se de Ademir Honório Capoano, de 38 anos. As buscas terminaram na manhã de segunda (8/11).

Aos bombeiros, testemunhas disseram que Ademir subiu na queda-d’água para tirar uma foto. No entanto, a Cachoeira do Rio Corrente possui uma altura de 30 metros de altura. A vítima se desequilibrou e caiu, tendo o corpo desaparecido em meio a água.[Bombeiros encontram corpo de homem que caiu de Cachoeira de Itumirim por foto]A cachoeira, conhecida como 2° salto, possui uma altura de 30 metros de altura (Foto: Reprodução – Internet)

No mesmo dia do ocorrido, os militares estiveram no local, mas, não encontraram Ademir. A equipe náutica realizou uma segunda busca no dia seguinte, domingo (7). Porém, somente por volta das 07h30 desta segunda-feira (8), os bombeiros encontraram o corpo do homem.

“O local é perigoso e de difícil acesso. A baixa visibilidade devido a névoa formada pela queda d’água dificultou ainda mais as buscas”, afirmou, sargento Gouveia, que participou das buscas. A vítima ficou aos cuidados do Instituto Médico Legal (IML).

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DO GRUPO ARAGUAIA NOTÍCIA PRA RECEBER INFORMAÇÕES EM TEMPO REAL

Homem que morreu após cair de Cachoeira de Itumirim por foto sabia nadar, segundo familiar

Ao Mais Goiás, o tio de Ademir, Almir Capoano, explicou que a vítima é natural de São Paulo. Porém, há uns 4 anos veio morar em Goiás no sítio dos avós. Dentro da propriedade existem algumas cachoeiras, que a família acabou tornando em um negócio de turismo. Segundo o tio, Ademir conhecia o local ‘como a palma da mão’.

“Lá virou parque ecológico e ele fazia turismo, treinamento mesmo. Ele adorava aquilo, conhecia aquele lugar como a palma da mão dele. Era acostumado a usar drones e coisas desse tipo”, explicou Almir.

Ainda segundo o tio, a vítima deixa uma esposa e um filho de 2 anos. “Fica uma saudade, né? É um sobrinho, é muita coisa!”, acresentou o familiar.
Notícias Relacionadas »
Comentários »