04/11/2021 às 07h35min - Atualizada em 04/11/2021 às 07h35min

Justiça aguarda 3° laudo para decidir destino de homem que arrancou coração da própria tia

Caso está sendo julgado na 2ª Vara Criminal de Sorriso, cidade em que ocorreu o crime há 2 anos e 3 meses.

G1 MT
ARAGUAIA NOTÍCIA
A Justiça estadual aguarda a conclusão do laudo sobre o estado de saúde de Lumar Costa da Silva, homem acusado de arrancar o coração da própria tia, o crime aconteceu no dia 2 de julho de 2019. Segundo a 2ª Vara Criminal de Sorriso, este já é o terceiro laudo sobre as condições de sanidade mental do acusado.

A Justiça aguarda a conclusão do laudo para esta semana. No dia 25 de outubro, o juiz Anderson Candiotto, da 2ª Vara Criminal de Sorriso, determinou que o laudo sobre a situação psíquica de Lumar seja apresentado em 15 dias. No entanto, a Vara espera receber o laudo ainda nesta semana.

O primeiro laudo apontou que Lumar tem transtorno bipolar, mas não foi conclusivo. Um segundo laudo foi elaborado. No entanto, a Justiça considerou que foi uma "cópia do primeiro" e também não apresentou a conclusão e nem respondeu aos questionamentos do magistrado. O segundo laudo sugeriu que Lumar poderia ter uma patologia, destacou que o profissional de saúde que o acompanha na custódia poderia ser mais preciso no diagnóstico.

Foi determinado a confecção de um terceiro laudo. Desta vez, de um profissional que acompanha Lumar na prisão. Os exames já foram feitos, a Justiça só aguarda a conclusão do laudo. Novamente, a juiz determinou quais perguntas sobre o estado de saúde de Lumar devem ser respondidas pelo profissional de saúde.

O caso

O sobrinho tinha se mudado para Mato Grosso há quatro dias depois de tentar matar a mãe dele em Campinas, São Paulo. O delegado, à época, André Ribeiro, classificou rapaz como 'repugnante, monstro e perturbado'.

De acordo com a Polícia Civil, Lumar chegou a Mato Grosso no dia 28 de junho de 2019 para morar com a tia. No mesmo dia que chegou o rapaz entregou currículos na cidade. A família dizia que ele é considerado uma pessoa inteligente e fala duas línguas.

Ele é usuário de drogas e começou a usar entorpecente na casa dela. Religiosa, a vítima se sentia incomodada com as atitudes do sobrinho. A família arranjou uma quitinete para ele e o rapaz se mudou da casa.

Em depoimento na Polícia Civil, ao sair da delegacia, afirmou à imprensa que ouviu 'vozes' do universo que o orientaram a cometer o crime. Ele confessou o crime e disse não estar arrependido.

Oito dias depois ele foi transferido para a Penitenciária Osvaldo Florentino Leite Ferreira (conhecida como Ferrugem), em Sinop, a 503 km da capital. Durante a transferência, Lumar foi flagrado por um agente tentando enforcar outro preso dentro do camburão onde eles eram transportados.
Notícias Relacionadas »
Comentários »