09/05/2014 às 07h51min - Atualizada em 09/05/2014 às 07h51min

Exumação descarta gravidez de universitária morta em atropelamento por namorado

Olhar Direto
Olhar Direto

Foi realizada na tarde de quinta-feira (8) a exumação do corpo da universitária Rayane Francine Maciel da Silva, 20 anos, atropelada em 24 de abril, pela caminhonete do namorado, o empresário da construção civil, Sérgio Santos Farias, 40 anos, que está preso. O caso foi registrado na cidade de Barra do Garças, no leste de Mato Grosso, e a Polícia Civil apura se o atropelamento foi, de fato, intencional.

A exumação foi solicitada pelos delegados Joaquim Leitão e Débora Cardoso com objetivo de dirimir a dúvida se Rayane estaria ou não grávida fato que poderia ter motivado a discussão entre o casal, momentos antes do atropelamento. O médico legista João Bosco Morbeck, ao final da exumação antecipou ao Olhar Direto, que não se confirmou a gravidez de Rayane.

O delegado Joaquim Leitão informou que vai esperar um relatório conclusivo do médico legista sobre a exumação e que esse procedimento faz parte da investigação. “Nós estamos checando todas as possibilidades sobre o que realmente aconteceu antes da discussão e do atropelamento de Rayane”, explicou.

Uma tia e uma prima de Rayane acompanharam a exumação e disseram que havia uma suspeita de gestação já que a jovem teria comentado com a mãe sobre a possibilidade. Sobre a informação de que não se confirmou a gravidez, familiares chegaram a questionar o exame. "E se fosse uma gravidez recente? Será que somente olhando dava para se afirmar alguma coisa", indagou um tio.

Os familiares aproveitaram para desmentir os boatos de que o empresário estaria ajudando a família sobre as despesas do enterro de Rayane e de que um irmão de Sérgio estaria ajudando a família. “Isso não passa de uma mentira. No dia do atropelamento ele mandou alguém lá avisar que a Rayane foi atropelado e correu para procurar advogado”, acrescentou a tia Eudivânia da Silva.

Segundo o delegado o próximo passo da polícia será a reconstituição do atropelamento. A medida tem como objetivo checar a dinâmica do que realmente aconteceu.

Rayane foi atropelada após uma discussão com o namorado no bairro Jardim Anchieta onde ele alega que ela tentou subir na caminhonete e estribo quebrou com a jovem caindo e sendo atingida por uma das rodas traseiras do veículo. Versão essa que é contestada pela família da universitária. “Rayane estava bastante magra como ela quebraria o estribo de caminhonete. Essa história está mal contada nós esperamos por justiça”, finalizou a tia.

Na segunda-feira, 12, familiares e amigos de Rayane vão promover uma manifestação na cidade pedindo justiça. A passeata terá início na ponte do rio Garças, às 16 horas, passando pelo centro e com término previsto em frente Ministério Público. Sérgio está preso na cadeia pública de Barra do Garças.

Sérgio teve a prisão temporária decretada por trinta dias e foi solicitada pelos delegados Joaquim Leitão e Débora Cardoso. "Nós estamos buscando apurar a verdade. E, não, incriminar ninguém. Nosso trabalho é para apurar a verdade e se a verdade for a versão de Sérgio ela também virá a tona", completou o delegado. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »