28/09/2021 às 20h43min - Atualizada em 28/09/2021 às 20h43min

Pacotão de isenções de impostos, anunciado por Mauro Mendes, será na ordem de R$ 1,2 bilhão por ano

Khayo Ribeiro / Gazeta Digital via Araguaia Notícia 

A redução de impostos anunciada pelo governador Mauro Mendes (DEM) na tarde desta terça-feira (28) será na ordem de R$ 1,2 bilhão por ano. Ao todo, o "pacotão" e isenções contempla 5 setores, cada qual com uma porcentagem própria de redução.

Anunciada como a maior redução do Brasil, a isenção atenderá aos setores de energia elétrica, combustíveis, comunicações, gás natural e energia solar. O pacote foi apresentado por Mendes em evento no Palácio Paiaguás, que contou a com presença de secretários de Estado e deputados aliados.

O "socorro" anunciado pelo governador", formatado em projeto de lei, deverá ser encaminhado à Assembleia Legislativa de Mato Grosso nesta semana, onde passará por apreciação dos deputados. Contudo, as medidas só passarão a valer efetivamente a partir de janeiro do próximo ano.

“A função principal do Estado é devolver ao cidadão aquilo que ele paga de impostos em forma de obras e melhorias para a vida dele. E essa redução de ICMS é mais uma forma de compartilharmos os resultados alcançados pelo Governo, pois sabemos que pagar menos na conta de luz, na gasolina e nessas despesas básicas faz toda a diferença para as famílias mato-grossenses”, afirmou o governador.

Será reduzido o ICMS da energia elétrica (de 25% e 27% para 17% a todos os setores), dos serviços de comunicação, como internet e telefonia (de 25% e  30% para 17%), da gasolina (de 25% para 23%), do diesel (de 17% para 16%), do gás industrial (de 17% para 12%) e do uso do sistema de distribuição da energia solar (de 25% para 17%).

Também estiveram no ato: o presidente da Assembleia Legislativa, Max Russi; os deputados Eduardo Botelho, Janaina Riva, Dilmar Dal Bosco, Carlos Avalone, Nininho, Allan Kardec, Xuxu Dal Molin, João Batista, Elizeu Nascimento e Thiago Silva.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.1%
4.9%
17.6%
76.5%