22/04/2014 às 15h16min - Atualizada em 22/04/2014 às 15h16min

Trecho da BR-364 é interditado por sem terras que cobram assentamento de 4,3 mil famílias

Patrícia Neves
Agora MT/Ronaldo Teixeira

A BR-364, no perímetro urbano de Rondonópolis, foi bloqueada na manhã de hoje (22) por manifestantes do Movimento Unitário Sem Terra. Ainda não há previsão de liberação da rodovia que foi completamente interditada em perímetro urbano da cidade por volta das 8h.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal em Rondonópolis, o grupo reúne membros de vários movimentos ligados a reforma agrária, como MST (Movimento dos Sem Terras), Movimento dos Atingidos por Barragens (MTA). A principal exigência é quanto ao assentamento de 4,3 mil famílias. Os manifestantes argumentam que a rodovia pode ficar interditada pelo período de 3 dias. Cobram ainda uma série de melhorias no quesito estrutural, como a recuperação e abertura de estradas, construção de pontes e manilhamento, e a instalação de redes de distribuição do programa Luz para Todos.

Os manifestantes apresentaram uma pauta aos policiais federais onde informam que sem o cumprimento de acordo feito com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Eles cobram a retomada de áreas conhecidas como 'Marzagão' (Rosário Oeste e Nobres), Macaca (União do Sul), Gleba Ribeiro (Guiratinga), Gleba Iriri (Matupá), Grendene (Cáceres), Iandú (Mundo Novo), Lauro (Terra Nova do Norte), Espora de Prata (Rondonópolis), Jatobá (Jaciara), Velha (Alto Paraguai), Gama (Nova Guarita).

A Polícia Rodoviária Federal informou que o protesto é pacífico e uma equipe se encontra no local para dialogar com o grupo e permitir que o tráfego seja normalizado. A PRF informou que por causa da manifestação mais de 300 ligações já foram efetuadas para o serviço de emergência da polícia. A estimativa é de que o congestionamento já chegue a mais de 20 quilômetros.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.4%
5.3%
18.2%
75.2%